Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Covid-19

Advogado doa cestas básicas para ajudar moradores de Fernando de Noronha

Publicado em: 30/03/2020 19:22

As 250 cestas básicas doadas foram entregues aos moradores de Noronha. (Foto: Cortesia/Whatsapp.)
As 250 cestas básicas doadas foram entregues aos moradores de Noronha. (Foto: Cortesia/Whatsapp.)
A pandemia do novo coronavírus levou Fernando de Noronha a ficar isolada por tempo indeterminado. Desde 21 de março, o arquipélago pernambucano não recebe mais vôos comerciais. Os turistas saíram de cena, mas os 4,5 mil moradores do local paradisíaco temem os impactos econômicos do isolamento. Analisando esse cenário, um advogado pernambucano realizou uma doação de 250 cestas básicas, para distribuição entre a população.

O advogado Marcos Meira é sócio de pousadas em Noronha e, como convive diretamente com a realidade do arquipélago, buscou fazer esse gesto de solidariedade. “Noronha precisa de muito mais cuidados pela situação que está vivendo. É muito difícil. Com tudo fechado, parado, a população de lá, que vive do turismo, precisa conseguir sobreviver”, diz.

As doações já chegaram ao arquipélago. Marcos espera que a ação dele seja repetida por outras pessoas. “Seja para doar cesta básica ou respiradores para o hospital. Espero que a sociedade se sensibilize, que comecem a angariar colaboradores nesse sentido”, acrescenta.

Presidente do Conselho Distrital de Noronha - equivalente a uma Câmara de Vereadores -, Milton Luna endossa o apelo por ajuda. “Quem puder colaborar, por favor, ajude. A atuação é fundamental porque a ilha vive do turismo. Muitos daqui trabalham em um dia para poder comer no outro”, explica. “Estamos com essa dificuldade de comida, mas a gente está fazendo parcerias, como essa com o Marcos”, prossegue.

Segundo Milton, os moradores do arquipélago estão respeitando fielmente as orientações das autoridades sanitárias. Equipamentos e serviços turísticos estão suspensos, padarias e mercadinhos seguem abertos, e o isolamento não é algo de forte impacto para a vida do noronhense: “Por ser uma ilha, quem é daqui já está acostumado com isso”.

Saúde
Em 27 de março, Fernando de Noronha registrou a primeira contaminação pelo novo coronavírus. É um homem de 48 anos, funcionário da empresa terceirizada que administra o aeroporto da ilha. Ele está isolado no alojamento da empresa e se recupera bem. Pessoas que tiveram contato com ele também estão isoladas e sendo monitoradas.

A ilha só dispõe do Hospital São Lucas para eventuais casos de internação por Covid-19. A unidade conta com três respiradores. “Graças a Deus ainda só temos esse caso confirmado. Mas faço um apelo a quem puder ajudar a ilha”, conclui Milton.

A reportagem procurou o administrador de Fernando de Noronha, Guilherme Rocha, para conversar sobre o assunto. Mas até a publicação desta reportagem, não obtivemos retorno. O espaço segue aberto para posterior atualização.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #Aulão: tudo sobre botânica
Rhaldney Santos entrevista a oftalmologista Larissa Ventura
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #259 O que é uma planta?
Rhaldney Santos entrevista o desembargador do TJPE Erik Simões
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco