Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Herpes

Secretaria de Saúde divulga causa da morte de saguis em Aldeia

Publicado em: 14/02/2020 11:36 | Atualizado em: 14/02/2020 21:34

 (Foto: Miva Filho/SES.)
Foto: Miva Filho/SES.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) concluiu que a morte dos saguis, ocorridas no fim do ano passado e no começo deste ano, em Aldeia, foi provocada por herpes. Ao todo, 17 macacos morreram e passaram por perícia. A SES descartou contaminação por febre amarela e reiterou que a doença não está presente em Pernambuco.

Durante coletiva de imprensa realizada na sede da Secretaria, no bairro do Bongi, o órgão afirmou que as investigações foram concluídas. "Todos os diagnósticos laboratoriais, não só os resultados de pesquisa de vírus, mas todos eles levaram à presença do vírus herpes naquele grupo de macacos. Mesmo se a gente não tivesse esses achados, o fato de ter três macacos positivos encontrados no mesmo grupo em um mesmo dia já fechada por uma situação epidemiológica de herpes", comentou a gerente do Programa de Controle das Arboviroses da SES, Claudenice pontes.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, afirmou que outra suspeita, que também foi descartada após as análises, era do ciclo silvestre do vírus da zika. "Afastamos a suspeita de febre amarela e do ciclo silvestre do zika vírus, que também era uma possibilidade, mas que foi descarada por todas as evidências", comentou o secretário 

O vírus herpes pode ser fatal para os saguis. Por isso, a população não deve alimentar os animais para evitar essa e outras possíveis transmissões. "As herpes são muito comuns em animais de vida livre e a população humana carrega o vírus. Então, muitas pessoas que dão comida, mordem uma banana e oferecem ao macaco e assim podem passar para o animal. Para eles, a herpes pode ser fatal", explica a professora Maria Adélia Oliveira, do departamento de morfologia da UFRPE.

Entenda o caso
No final de dezembro de 2019 e no início de janeiro de 2020, a SES foi notificada da morte de 17 saguis em um condomínio fechado de Aldeia, em Camaragibe. Técnicos do Programa Estadual de Controle das Arboviroses coletaram os animais e iniciaram análises no Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE). As principais suspeitas eram herpes, dengue, raiva e febre amarela.

Após a morte dos animais, o estado adiantou a campanha de vacinação de bloqueio contra a febre amarela. De acordo com a SES, o estado não registra casos autóctones de febre amarela em Pernambuco desde 1938. Por isso, o órgão considera que não há a circulação do vírus da doença no Estado desde então. Desde o ano de 2017 a Secretaria realiza a vigilância em epizootia para monitorar a mortalidade de primatas não humanos. Desde então, não há nenhum óbito relacionado à febre amarela desses animais no Estado. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rua do Bom Jesus está no topo do ranking das mais belas, diz revista americana
Destaques da semana: restaurantes vão reabrir, Bom Jesus entre as mais belas ruas e volta do futebol
10/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Itália proíbe entrada de viajantes brasileiros
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco