Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Mobilidade

Governo rejeita proposta da Urbana-PE de reajuste no valor das passagens de ônibus

Publicado em: 13/01/2020 19:34 | Atualizado em: 13/01/2020 19:47

Governo classificou como 'inaceitável' aumento de R$ 3,45 para R$ 3,90 do Anel A. (Foto: Leo Malafaia/Esp. DP)
Governo classificou como 'inaceitável' aumento de R$ 3,45 para R$ 3,90 do Anel A. (Foto: Leo Malafaia/Esp. DP)
O governo de Pernambuco recusou a proposta de reajuste no valor das passagens de ônibus apresentada nesta segunda-feira (13) pelos empresários do setor de transportes  de passageiros da Região Metropolitana do Recife (RMR). O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) encaminhou ao Grande Recife Consórcio de Transporte um estudo de realinhamento tarifário para o serviço de transporte público por ônibus na Região Metropolitana do Recife.

De acordo com o sindicado das empresas, considerando os custos e receitas previstos para 2020, o valor do Anel A deveria subir para R$ 3,90. Atualmente, a tarifa A, usada por 80% dos passageiros, custa R$ 3,45. O aumento seria, portanto, de 13%. A proposta da Urbana-PE de valor para o Anel B é R$ 5,35 e R$ 2,55 para o Anel G.

"A proposição, que apresenta aumento médio de 14%, elevaria o Anel A - o mais utilizado pelos usuários do sistema - de R$ 3,45 para R$ 3,90, o que é inaceitável. Atualmente, a RMR tem uma das tarifas mais baratas entre as capitais do país, e o Executivo estadual não abre mão da continuidade desse quadro em 2020", informou o governo de Pernambuco, em nota.

LEIA MAIS:

Urbana-PE propõe aumento do anel A das passagens de ônibus para R$ 3,90

Em resposta à proposta da Urbana-PE, o governo ressaltou que "além de não admitir a proposta apresentada pelo setor empresarial, o Governo de Pernambuco assegura o seguimento de conquistas históricas através do esforço da administração estadual, como o Passe Livre para estudantes, o Transporte Complementar Gratuito e a isenção do ICMS sobre o diesel".

O governo informou ainda que estão em fase de conclusão os estudos necessários que garantam melhorias para o usuário e uma equação que possa viabilizar o sistema, "com equilíbrio e sustentabilidade". O estado lembra ainda que, no ano passado, entrou em vigor a Lei do Ar-Condicionado (lei número 16787, de 2019), que está sendo considerada nessa análise, propondo uma meta de ampliação da frota climatizada na região, como já ocorreu em 2019.

"Mesmo com todo o quadro de dificuldades econômicas e fiscais, o Governo tem feito um grande esforço para manter subsídios como o do diesel, para evitar que a passagem alcance valores mais altos, como acontece em outros Estados. Além disso, intensificará as ações de melhoria da estrutura que serve ao transporte, com intervenções nos terminais e estações, e de segurança para a população", pontuou.

A nota do governo enfatiza ainda "que os empresários também precisam fazer a parte deles no funcionamento do sistema, na renovação da frota, com ampliação da climatização, e na pontualidade. O Governo de Pernambuco enfatiza, mais uma vez, que seu principal papel é lutar pelo usuário, pelo menor valor e pelo máximo de benefícios".

Confira, na íntegra, a nota do governo de Pernambuco:

O Governo de Pernambuco vem a público informar que não aceita a proposta de reajuste no valor das passagens de ônibus apresentada, nesta segunda-feira (13), pelos empresários do setor de transportes  de passageiros da Região Metropolitana do Recife (RMR). A proposição, que apresenta aumento médio de 14%, elevaria o Anel A - o mais utilizado pelos usuários do sistema - de R$ 3,45 para R$ 3,90, o que é inaceitável. Atualmente, a RMR tem uma das tarifas mais baratas entre as capitais do país, e o Executivo estadual não abre mão da continuidade desse quadro em 2020.

Além de não admitir a proposta apresentada pelo setor empresarial, o Governo de Pernambuco assegura o seguimento de conquistas históricas através do esforço da administração estadual, como o Passe Livre para estudantes, o Transporte Complementar Gratuito e a isenção do ICMS sobre o diesel.

Para isso, estão em fase de conclusão os estudos necessários que garantam melhorias para o usuário e uma equação que possa viabilizar o sistema, com equilíbrio e sustentabilidade. É importante lembrar que, no ano passado, entrou em vigor a Lei do Ar-Condicionado (Lei n. 16787/2019), que está sendo considerada nessa análise, propondo uma meta de ampliação da frota climatizada na Região, como já ocorreu em 2019.

Mesmo com todo o quadro de dificuldades econômicas e fiscais, o Governo tem feito um grande esforço para manter subsídios como o do diesel, para evitar que a passagem alcance valores mais altos, como acontece em outros Estados. Além disso, intensificará as ações de melhoria da estrutura que serve ao transporte, com intervenções nos terminais e estações, e de segurança para a população.

Por fim, salienta que os empresários também precisam fazer a parte deles no funcionamento do sistema, na renovação da frota, com ampliação da climatização, e na pontualidade. O Governo de Pernambuco enfatiza, mais uma vez, que seu principal papel é lutar pelo usuário, pelo menor valor e pelo máximo de benefícios.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Itália proíbe entrada de viajantes brasileiros
10/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Burro invasor de lives faz santuário de animais arrecadar dinheiro
Seminário discute novo marco legal do saneamento básico
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco