Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Local

Polícia

Suspeito de matar adolescente venezuelano é preso e diz que atirou por "não entender o que eles diziam"

Publicado em: 22/11/2019 15:40 | Atualizado em: 22/11/2019 16:36

Juan Malave, de 15 anos, morreu após ser atingido por disparos efetuados por Antônio na Rua Rui Barbosa Albuquerque. (Fotos: Facebook/Reprodução e Google Street View/Reprodução.)
Juan Malave, de 15 anos, morreu após ser atingido por disparos efetuados por Antônio na Rua Rui Barbosa Albuquerque. (Fotos: Facebook/Reprodução e Google Street View/Reprodução.)

Preso nessa quinta-feira (21) suspeito de assassinar o adolescente venezuelano Juan Malave, de 15 anos, e de tentar matar outros dois homens, de 25 e 32 anos, Antônio Targino da Silva Filho, 31 anos, disse para a Polícia Civil de Pernambuco que disparou contra os venezuelanos porque "não entendia o que eles falavam". O crime aconteceu no dia 10 deste mês, em Igarassu, Região Metropolitana do Recife. Daniel José López Romero e Johan Manuel Sanchez Vizcano ficaram feridos, foram atendidos no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, e receberam alta médica dias depois.

Desde o crime, Antônio havia saído de Igarassu, onde vivia, e estava morando em Tejucupapo, distrito do município de Goiana, também na Região Metropolitana do Recife, a 35 km da Rua Rui Barbosa Albuquerque, local em que os venezuelanos foram alvejados.

O delegado Alaumo Lima, responsável pelas investigações, disse que a polícia chegou até Antônio depois de efetuar a prisão de Jonas Jefferson de Menezes Lima, 25 anos, suspeito de ser coautor do homicídio e por conduzir o carro utilizado durante a ação. Jonas é cunhado de Antônio e foi preso no dia do crime, que aconteceu por volta das 12h30. 

LEIA MAIS

Homem é preso suspeito de envolvimento na morte de adolescente venezuelano

"Antônio descobriu, pelas redes sociais, que o filho que criava há seis anos não era dele. Enfurecido, saiu de casa para matar o homem que seria pai do menino e que morava perto de onde os venezuelanos foram atingidos", disse o delegado. O suspeito de ter efetuado os disparos que matou o adolescente e deixou os outros dois venezuelanos feridos não encontrou o homem que procurava no local. "Os venezuelanos estavam recebendo doações de móveis e eletrodomésticos naquela rua. O suspeito disse que como não entendeu o que eles falavam, atirou", afirmou Alaumo.


De acordo com o delegado, Antônio havia ingerido bastante bebida alcoólica no dia do crime. Ele responde por outro homicídio à Justiça. "Não temos informações sobre esse outro assassinato porque o inquérito já foi enviado ao poder judiciário e ocorreu em outra comarca, mas sabemos que ele já tem passagem pela polícia", confirmou Alaumo. Antônio foi detido no caminho entre Goiana e Igarassu e confessou o crime. O suspeito foi encaminhado ao Centro de Observação Criminológica e Triagem (Cotel), em Abreu e Lima. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Cavani Rosas e o percurso entre a ciência e o sobrenatural
In Set com Alessandra Pires
Tecnologia e inovação aplicadas à educação
Moradores cobram inauguração da Upinha Rio da Prata
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco