Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE MUDANÇA DO CLIMA

Primeiro inventário de Gases de Efeito Estufa do Estado é apresentado na CBMC

Publicado em: 06/11/2019 15:34 | Atualizado em: 06/11/2019 17:11

A Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC) começa nesta quarta (6), no bairro do Recife, e vai até a sexta-feira (8). (Foto: Julliana Brito/Esp. DP)
A Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC) começa nesta quarta (6), no bairro do Recife, e vai até a sexta-feira (8). (Foto: Julliana Brito/Esp. DP)


O primeiro inventário de Gases de Efeito Estufa do Estado na Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC) foi apresentado no bairro do Recife, nesta quarta-feira (6). O documento é um mapeamento, produzido de forma sistemática, das contribuições dos setores e produtos que geraram emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), de forma direta ou indireta, no período de 2015 a 2018 no estado de Pernambuco. 

Os dados adquiridos são vistos como determinantes para a implantação de metas concretas na diminuição de emissões de GEE, além de ser um instrumento norteador da revisão do Plano de Enfrentamento às Mudanças do Clima.

A palestra de apresentação foi ministrada por Samanta Della Bella, superintendente de sustentabilidade e clima da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco; José Bertotti, Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco; Milimer Morgado, gerente de transparência climática na the Climate Group UK e Hugo Moraes, gerente de baixo carbono da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco.

O inventário foi dividido em cinco setores para coleta de dados:

1. ENERGIA ESTACIONÁRIA -  Os dados para o cálculo dessas emissões foram baseados no consumo de energia elétrica, GLP, gás natural, diesel, óleo combustível e querosene iluminante.

2. TRANSPORTES -  As emissões deste setor foram calculadas a partir dos valores obtidos pelo método de venda de combustíveis, como gasolina, diesel, etanol e GNV.

3. RESÍDUOS - O cálculo das emissões do setor de resíduos analisou o volume de resíduos sólidos coletados e destinados para aterros e lixões, bem como de efluentes líquidos tratados e não tratados.

4. PROCESSOS INDUSTRIAIS (IPPU) -  Para o cálculo de emissões de processos industriais, utilizou-se os volumes de produção de cimento, cal e vidro, três importantes representantes da indústria mineral de Pernambuco

5. AGRICULTURA, PECUÁRIA E OUTROS USOS DO SOLO (AFOLU) - Para o cálculo das emissões desse setor, foram utilizados os dados do efetivo de rebanhos de animais cujos processos biológicos emitem metano, acrescentando-se a avicultura, e estimou-se as emissões oriundas da transição de usos do solo em todo o Estado.

Confira os dados adquiridos nos quatro anos de pesquisa:
 
 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Entrevista com o governador Paulo Câmara
Um milhão de doses da CoronaVac chegam em São Paulo
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 03/12
Vídeo mostra confusão envolvendo agentes da CTTU em Santo Amaro
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco