Crime Violência financeira contra a pessoa idosa cresce 236% no estado

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 19/09/2019 11:58 Atualizado em:

Foto: Ray Evllyn/Divulgação. (Foto: Ray Evllyn/Divulgação.)
Foto: Ray Evllyn/Divulgação.
"Apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro rendimento do idoso, dando-lhes aplicação diversa da de sua finalidade". A frase compõe o Artigo 102, do Estatuto do Idoso, onde configura crime a apropriação indevida de qualquer bem da pessoa idosa.  A pena para o violador vai 1 a 4 anos de reclusão e multa. Apesar de caracterizar delito, violações como estas têm sido recebidas com mais frequência pelo Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa (CIAPPI), programa vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH).

De acordo com o último levantamento do Centro, de janeiro a agosto deste ano, foram quantificadas 447 vítimas de violação financeira. Em comparação ao mesmo período de 2018, quando foram registradas 133 denúncias, o aumento chega aos 236%. Dentre as maiores vítimas estão as mulheres, acumulando mais de 2/3 das queixas (306).

Para o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, o aumento reflete a sensibilização da população e o fortalecimento da pessoa idosa para denunciar. "O Governo de Pernambuco vem trabalhando com afinco na perspectiva de sensibilizar as pessoas a denunciarem, além de estarmos também esclarecendo a vítima de que é possível se livrar desse tipo de abuso", relata. 

Formado por uma equipe multidisciplinar, o CIAPPI atua com atendimento especializado, escuta qualificada e humanizada, serviço de orientação psicossocial e jurídica. Também realiza encaminhamentos dos casos de violência, maus-tratos e abandono à rede integrada de promoção e defesa dos direitos da pessoa idosa; acompanhamento e visitas periódicas a instituições filantrópicas, públicas e privadas. O CIAPPI fica na Rua Santo Elias, 535, bairro do Espinheiro. Denúncias podem ser feitas pessoalmente ou através dos telefones 3182-7649 ou 3182-7607.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.