Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Solenidade

Sob aplausos, Maria da Penha inaugura seu instituto no Recife

Publicado em: 05/09/2019 16:59 | Atualizado em: 05/09/2019 18:02

Solenidade aconteceu na tarde desta quinta-feira (5), no Recife Antigo - Tarciso Augusto/Esp. DP
Foi inaugurado oficialmente, na tarde desta quinta-feira (5), o escritório regional do Instituto Maria da Penha (IMP) no Recife. Localizado no segundo andar do prédio da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq), o espaço irá fornecer acolhimento e orientação às mulheres vítimas de violência. Até então, a organização só tinha presença física em Fortaleza, terra natal da ativista Maria da Penha, presidente do IMP. Em outubro, com o lançamento oficial do programa Tua Vez, as vítimas de agressão que contam com medida protetiva encontrarão, também, cursos de qualificação profissional e encaminhamento ao mercado de trabalho. 

Muito aplaudida pelos convidados da cerimônia, Maria da Penha destacou a importância da criação de centros de referência, para que aquela mulher agredida conheça seus direitos, avalie sua situação e possa sair do ciclo da violência. “Nossa luta está vencendo muitas barreiras. Nosso instituto deseja que os governos municipais tenham compromisso com a política pública e criem centros de referência. Não precisa ser um prédio pomposo”, defende.

ENTREVISTA: 'Resultado do machismo', diz Maria da Penha sobre 'demonização' do feminismo

Apesar da inauguração do espaço físico, o IMP já realizava ações de educação social no Recife desde 2009, através da professora Regina Célia, vice-presidente do instituto. “Tínhamos um trabalho de formação de voluntários e agora vamos trabalhar diretamente com a mulher que tem medida protetiva. Não vemos ações específicas para elas, que acabam perdendo seu emprego ou encontram dificuldades para se reintegrar ao mercado”, destaca.

O projeto Tua Vez funcionará da seguinte forma: a vítima de violência vai, primeiro, ao Centro de Referência Clarice Lispector, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife. No centro, será realizado a triagem. Em seguida, ela será encaminhada ao Instituto Maria da Penha, que fará acolhimento e orientação. Depois, o instituto encaminha para a Seteq, que fará a qualificação e intermediação de trabalho. 

Maria da Penha foi recebida sob fortes aplausos - Tarciso Augusto/Esp. DP

“Após a triagem, orientação, apoio jurídico, ela vem para a secretaria, que fará a qualificação de acordo com o que as empresas parceiras estão demandando. Exemplo: um supermercado parceiro quer atendentes, vamos fazer a capacitação. Ou a vítima de violência quer empreender, teremos cursos de cabeleireiro, educação financeira, culinária”, detalha o secretário de Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco, Alberes Lopes.

A aproximação da Seteq com o Instituto Maria da Penha foi feita pela deputada estadual Gleide  ngelo. “Quando vem um centro desse, com um projeto desses, vamos tirar muitas mulheres da dependência financeira. Muitas não saem de um relacionamento abusivo porque não têm como se sustentar. Peço a sensibilidade aos empresários pernambucanos que se engajem conosco. Todo mundo vai saber que aquela empresa é parceira da mulher”, pontua Gleide.

A solenidade de lançamento contou com a presença da ex-modelo Luiza Brunet. Em 2016, ela foi vítima de violência doméstica do ex-marido. “O que me impulsionou a fazer a denúncia naquele momento foi a imagem de Maria da Penha, ver que ela não se calou. Se a mulher se cala, ela vira estatística. E eu não quis ser um número. Meu agressor foi condenado e, quando a justiça é feita, a reparação é muito grande para nós”, afirma Luiza.

Ao final da cerimônia, foram entregues placas de homenagem a pessoas que se envolveram diretamente com a instituição, como a presidente do Instituto Vasselo Goldoni, Edna Vasselo Goldoni; Glaucimar Peticov, representando o Bradesco; e  ngelo Teixeira, em nome da Hinode.

Serviço
O Instituto Maria da Penha fica na Avenida Marquês de Olinda, nº 150, no segundo andar do prédio da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação. No entanto, o acesso é feito pela Rua Álvares Cabral, paralela à Marquês de Olinda. O Instituto vai funcionar das 8h às 18h, mas só será aberto ao público no fim deste mês. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Resumo da semana: adolescente trans ganha novo registro, chacina em Ipojuca e alívio na pandemia
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
OMS descarta transmissão da Covid-19 por alimentos
Suspeito de assassinar blogueiro e filho adolescente em Rio Formoso se entrega
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco