Obra Sistema de esgotamento sanitário de Olinda será implantado e complementado

Publicado em: 18/09/2019 22:51 Atualizado em:

Foto: Divulgação (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
A cidade de Olinda, na região metropolitana do Recife (RMR), recebe mais investimentos para a ampliação dos serviços de coleta e tratamento de esgotos. Desta vez, o governador Paulo Câmara investe R$ 30 milhões, recursos do Estado, da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e da Caixa Econômica Federal/OGU, para implantar e ampliar o sistema de esgotamento sanitário nos bairros de Jardim Atlântico, Fragoso, Bairro Novo, Monte, Amaro Branco, Tabajara e no Alto da Mina, localizado nos Bultrins. O empreendimento, que faz parte do Programa Cidade Saneada - Parceria Público Privada do Saneamento em Pernambuco -, irá beneficiar 66 mil pessoas nessas áreas da cidade com mais qualidade de vida. De acordo com o planejamento, haverá o assentamento de 170 quilômetros de rede coletora de esgoto. O prazo da conclusão para a obra é janeiro de 2021.
 
A Compesa deu início aos serviços de escavações para introduzir ramais prediais pela Rua Safira, no bairro de Jardim Atlântico, e Rua Jutaí, em Tabajara. “Estamos avançado com as ações para ampliar esgotamento sanitário em Olinda, que apresenta um índice de 47% de cobertura. Boa parte do sistema existente hoje na cidade foi construída antes da década de 1980 e, por meio do Programa Cidade Saneada, já vem recebendo serviços de manutenção e obras de requalificação das unidades, o que permitiu melhorar consideravelmente a eficiência da operação das estações elevatórias e também das estações de tratamento de esgoto”, conta diretor Técnico e de Engenharia da Compesa, Rômulo Aurélio Souza.

Rômulo complementa: após a conclusão dessa obra, a expectativa é que o índice de cobertura de esgotamento sanitário em Olinda aumenta em 65%. A implantação do novo sistema ainda prevê a construção de duas estações elevatórias (bombeamento) e mais de três quilômetros de tubulações que irão transportar o esgoto das unidades de bombeamento até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Todo esgoto coletado, no futuro, nessas áreas beneficiadas pela obra, será destinado para a ETE Janga, a terceira maior estação de tratamento de esgoto da RMR, que foi totalmente recuperada através do Programa Cidade Saneada, e voltou a operar com o máximo de eficiência, no ano de 2017. Foram investidos R$ 12 milhões para requalificar e modernizar a ETE Janga.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.