Nordeste Secretários de assistência social reagem a restrições orçamentárias na pasta

Publicado em: 11/09/2019 07:37 Atualizado em: 11/09/2019 07:44

Foto: Jumariana Oliveira/divulgação
Foto: Jumariana Oliveira/divulgação
O Nordeste ensaia mais uma reação. Desta vez na área de assistência social. Os nove secretários da pasta na região se reuniram em Pernambuco para debater alternativas diante das restrições orçamentárias na política nacional da assistência social. A ideia é fazer com que o Consórcio Nordeste seja também uma forma de captação de novos investimentos para a assistência. Os secretários defendem que a região precisa de apoio na área mais do que qualquer outra região do país.

A reunião aconteceu durante o 1º Encontro dos Secretários Estaduais de Assistência Social da Região Nordeste, na terça-feira (10), quando foram discutidas as necessidades regionais e específicas, compartilhadas as experiências exitosas de atuações sociais e tecnológicas de cada estado e pontuadas as maneiras possíveis de atrair investidores nacionais e internacionais.

O encontro aconteceu na Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e fez parte das ações do Fórum Nacional de Gestores de Assistência Social (Fonseas). "Pernambuco, com os demais estados do Nordeste, tem sentido uma indignação em relação ao caminho que a política da Assistência Social tem tomado no Brasil. A gente espera que as construções feitas aqui nos unam e fortaleça nossa luta, que é em favor de uma grande maioria de brasileiros. Nossa responsabilidade não é pequena, pois trabalhamos com a massa mais desassistida do país e é para essa parcela da população que as políticas públicas atuais estão sendo mais perversas. A nossa troca de ideias e de experiências pode fazer uma diferença fundamental", destacou o secretário Sileno Guedes.

O secretário executivo do Consórcio Nordeste. Carlos Gabas, disse que é importante que o espaço do Consórcio Nordeste também aproveite os investimentos para cravar a política social e não sirva somente como alternativa de infraestrutura. Em novembro, os governadores do Nordeste seguem para Europa para reuniões de captação de novos recursos.

"O principal objetivo é fortalecer o Nordeste nessa área, uma vez que temos o atraso de recursos federais. Temos programas com atrasos de mais de um ano. Não temos uma política pública no Ministério da Cidadania. Queremos integrar o Consórcio nesse debate. Queremos defender essa bandeira da assistência", afirmou o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social de Alagoas, João Lessa.
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.