Requalificação Paradas de ônibus da Av. Presidente Kennedy voltarão para as calçadas

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 12/09/2019 10:06 Atualizado em: 12/09/2019 11:18

Foto: Leandro de Santana/DP. (Foto: Leandro de Santana/DP.)
Foto: Leandro de Santana/DP.
Até o final deste ano, a Avenida Presidente Kennedy, em Olinda, começa a ganhar uma nova cara. Uma obra orçada em R$ 20 milhões está prevista para solucionar alguns problemas antigos, como alagamentos e o trânsito desordenado. Em uma coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (12), a Prefeitura da cidade adiantou detalhes de como será o projeto de requalificação da via. Atualmente, a obra está na fase de financiamento. Após esse período, a liberação do recurso deve ir para a Câmara dos Vereadores e depois será enviada ao Senado Federal.

A proposta, de acordo com a Prefeitura, inclui a mudança das paradas de ônibus para as calçadas. A transferência deve afetar cerca de 200 mil passageiros que utilizam os coletivos que trafegam pela Presidente Kennedy todos os dias. O objetivo é facilitar o fluxo entre coletivos e carros. A faixa exclusiva para transporte público será transferida para a faixa da esquerda e o corredor de ônibus central será retirado. As oito paradas que atualmente estão no centro, serão relocadas para as calçadas.

Segundo o assessor técnico da Prefeitura, Evandro Avelar, a transferência deve repercutir no tempo das viagens de ônibus. "Nós vamos fazer uma correção nesse corredor de transporte. Temos muito problema de atrito lateral, a via ficou muito sinuosa e os carros concorrem com os ônibus. Faremos uma retificação para conseguir um melhor aproveitamento de toda a extensão. Uma simulação técnica apontou que vamos ter ganho de velocidade, seja para o ônibus ou carros, além de melhorar a mobilidade dos pedestres", afirmou.

A via tem 4,5 quilômetros de extensão e a requalificação ainda inclui reforma das calçadas, mudança na fiação da iluminação pública e obra de drenagem para acabar com os pontos de alagamento. Devem ser construídos 13 pontos de escoamento de água em canaletas superficiais. O projeto foi elaborado pela Comissão Estadual de Habitação e Obras do Governo do Estado. A obra será executada por trechos para evitar a interdição total, já que esse é o principal corredor de acesso a vários bairros, como Caixa D'água, Peixinhos e Jardim Brasil, além das áreas de morro. Segundo a Prefeitura, cerca de 80% dos 400 mil habitantes do município fazem o percurso diariamente.

A verba de R$ 20 milhões está sendo negociada com a Caixa Econômica Federal para viabilizar a obra, que terá investimento apenas do Governo Federal. "Apenas cinco municípios de Pernambuco estão aptos para pegar empréstimo e Olinda é um deles. Foi mais de um ano elaborando o projeto junto ao Governo do Estado. Agora, finalmente, vamos entregar calçadas novas, refazer toda a parte de drenagem, iluminação de LED, além disso, a retirar as paradas do centro da via", destacou o prefeito de Olinda, professor Lupércio.

Foto: Leandro de Santana/DP. (Foto: Leandro de Santana/DP.)
Foto: Leandro de Santana/DP.
A previsão é de que após a assinatura do termo de aceitação pela Caixa, a obra entre na fase de licitação por cerca de dois meses. A requalificação deve durar cerca de um ano e cinco meses. "A questão central dessa obra é a drenagem, que será toda refeita. Esse é o primeiro ponto que vamos atacar porque não temos como reaproveitar nada, seja por problemas estruturais ou de ocupação nas áreas de escoamento final, que estão quase todos obstruídos", apontou Avelar.

Sem ciclofaixa
Apesar de ser feito há um ano, o projeto não contemplou os ciclistas. O modal é utilizado por moradores e comerciantes como uma das principais formas de locomoção na área. A justificativa foi que a dimensão da via é pequena. "Não é possível conciliar o pedestre, dar prioridade aos ônibus, os carros, carroças, que ainda tem muito em Olinda e ainda as bicicletas. A alternativa é que os ciclistas circulem nas ruas paralelas para que se desloquem harmonizando com a Presidente Kennedy", afirmou Evandro Avelar.

A falta de um espaço seguro para os ciclistas preocupa Geraldo José Almeida, de 26 anos, que vai trabalhar todos os dias de bicicleta. "Eu ando pela calçada driblando das pessoas já por medo de ir para pista e sofrer um atropelamento, que acontece muito. Eles esqueceram que muita gente utiliza bicicleta não só para passear, mas como meio de transporte", reclama.

Sobre a ausência de uma ciclovia no trecho, a Prefeitura informou que está pavimentando ruas adjacentes para facilitar o tráfego. "Vamos calçar as ruas nas proximidades da Presidente Kennedy com orçamento municipal e em parceria com o governo do estado para garantir que as pessoas trafeguem com segurança", informou o prefeito.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.