TRATAMENTO Vítima de escalpelamento em acidente de kart é transferida para São Paulo

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 18/08/2019 13:09 Atualizado em: 18/08/2019 16:56

Foto: Reprodução/Whatsapp.
Foto: Reprodução/Whatsapp.

A estudante Débora Esthefany Dantas de Oliveira, 19 anos, escalpelada no último dia 11, enquanto andava de kart com o namorado em uma pista montada no estacionamento de um supermercado em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, foi transferida para São Paulo para dar continuidade ao tratamento iniciado no Hospital da Restauração (HR). De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a transferência aconteceu na manhã deste domingo (18) para um centro especializado em Ribeirão Preto, interior paulista.

Em nota, o Hospital da Restauração informou que "a jovem, que apresentou microtrombos no reimplante feito, precisará passar por novos procedimentos cirúrgicos para reconstrução da área no serviço para onde foi transferida". A transferência foi necessária pois, após a cirurgia de reconexão do fragmento de pele arrancado, Débora apresentou complicações por conta da formação de trombos na área. Esse fenômeno compromete a irrigação sanguínea dos tecidos e, caso não haja melhora, ela pode precisar remover o reimplante e receber enxertos de pele de outras regiões do corpo.

A Secretaria Estadual de Saúde destacou que a equipe médica do HR entrou em contato com o time de profissionais que acompanhará a paciente pelos próximos dias, passando detalhes sobre seu quadro para auxiliar na condução terapêutica. "Os profissionais do HR continuam à disposição da nova equipe multiprofissional para compartilhar mais informações sobre o caso. Por fim, o Hospital da Restauração ressalta que a paciente foi transferida sob os cuidados médicos necessários e com quadro clínico estável", informou, por nota.

Relembre o caso
Moradora do bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste do Recife, Débora tinha ido pela primeira vez a um kart no último dia 11. Durante a corrida, o cabelo dela teria enroscado no motor do veículo, arrancando o couro cabeludo. Ela deu entrada no Hospital da Restauração por volta das 18h do mesmo dia.

Ainda na noite do dia 11, Débora foi submetida a uma primeira cirurgia, que recuperou 80% do couro cabeludo danificado - apenas a parte traseira da cabeça seguiu exposta, porque o tecido original dessa área não pôde ser aproveitado. A intervenção, chamada de reconstrução microcirúrgica da calota craniana, foi realizada por uma equipe médica liderada pelo cirurgião plástico Jonathan Vidal.

Na tarde da terça-feira (13), foi realizada uma segunda cirurgia, emergencial, para retirar trombos (coágulos) nos vasos sanguíneos religados à cabeça. As duas intervenções foram assistidas pela internet por uma equipe do Baylor College of Medicine, instituição médica localizada em Houston, nos Estados Unidos. De acordo com o último boletim divulgado pelo HR, a jovem encontrava-se "estável e internada na UTI adulto para cuidados clínicos mais preservados".

Familiares da jovem prestaram queixa do ocorrido Delegacia de Boa Viagem. De acordo com a Polícia Civil, uma investigação será aberta para avaliar a negligência da empresa de kart, mas a polícia só se pronunciará "em momento oportuno". O inquérito tem 30 dias para ser concluído.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.