Segunda chance Funase faz parceria com o MPT para criar centros profissionalizantes

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 23/08/2019 11:10 Atualizado em:

Jovens recebem certificado de curso profissionalizante - Foto: Divulgação/Funase
Jovens recebem certificado de curso profissionalizante - Foto: Divulgação/Funase
Até o final de 2020, os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas nas unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) no Recife ganharão um novo espaço para aprender um trabalho. O Parque Profissionalizante da Funase será aberto em um imóvel, já pertencente à instituição, no bairro de Afogados, Zona Sul do Recife. O espaço irá ofertar cursos como informática, eletrônica, produção audiovisual, barbearia, artesanato e culinária, tendo capacidade para formar 2 mil jovens por ano e afastar esse público do ciclo da violência.

A iniciativa é fruto de um convênio da fundação com o Ministério Público do Trabalho em Pernambuco (MPT-PE). A obra no prédio será custeada com dinheiro de multas trabalhistas, vindas de ações judiciais do órgão. O projeto está orçado em R$ 60,5 mil, para reforma na estrutura, criação de laboratórios e biblioteca e aquisição de equipamentos específicos. 

Além do Parque Profissionalizante do Recife, serão criados 16 microparques nas unidades da Funase espalhadas pelo estado, para garantir que os socioeducandos do interior também tenham acesso à capacitação profissional. Para isso, serão investidos R$ 474,2 mil - dinheiro também oriundo de multas do MPT. A previsão de entrega também é para o final de 2020.

O convênio foi assinado na última semana pelas procuradoras do trabalho Maria Roberta Komuro e Jailda Pinto; pela presidente da Funase, Nadja Alencar e outros diretores da instituição.

“Só em 2018, com a estrutura que já temos nas nossas unidades e com as instalações de instituições parceiras, conseguimos ofertar 2.207 vagas em cursos profissionalizantes para socioeducandos em todo o Estado”, explica Nadja.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.