Em Frente Brasil Efetivo da Força Nacional começa a atuar em Paulista

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/08/2019 12:25 Atualizado em: 30/08/2019 13:04

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Após a assinatura do contrato do programa de enfrentamento à violência do Governo Federal, Em Frente Brasil, 405 profissionais e 74 viaturas, começaram a atuar no município de Paulista. O programa busca reduzir principalmente os homicídios, atuando com educação, esporte, lazer, cidadania, cultura e empreendedorismo. O trabalho inclui integração entre a Força Nacional de Segurança Pública e as polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar, com estratégias de policiamento, inteligência e investigação.

O secretário executivo de Defesa Social, Humberto Freire, comentou que já foram recebidos R$ 4 milhões destinados para essa primeira fase do projeto. Segundo ele, outros programas virão ao longo dos meses agregando diferentes ministérios e secretarias. "Agora iniciamos as ações operacionais no terreno, investigações de grupo criminosos, forças ostensivas saturando algumas áreas que ainda resistem com tráfico de drogas e índice de criminalidade para que possamos, fazendo de Paulista um case para todo país de pacificação e enfrentamento", comentou.

Segundo a SDS, este é o terceiro ano de redução nos índices de criminalidade. Em 2018, apenas em Paulista teve 43% de queda e esse ano os índices apontam diminuição de 37%, com 20 meses de redução de homicídios e 23 meses de redução de roubos em todo o estado. Para o secretário, o programa vai seguir os passos do Pacto pela vida, integrando diferentes poderes. "Já viemos discutindo algum tempo baseado do que se faz no Pacto pela vida, uma discussão ampla, com diversos partícipes, agora a gente traz outros atores. Vamos discutir investigações feitas pelas polícias, aturação de ambientes onde tem tráfico, perícias compartilhadas entre a Força Nacional e a gerência de Polícia Científica, além de investimentos", disse Humberto Freire.

Comandante da operação da Força Nacional Ostensiva em Paulista, Major Márcio Ribeiro, afirmou que o efetivo terá poder de prisão, podendo atuar em flagrantes de crimes e ainda de prevenção. "No trabalho de polícia ostensiva vamos contar com efetivo de 80 policiais e 20 viaturas na rua para trabalhar no serviço operacional, buscando a preservação da ordem pública, fazendo patrulhamentos, evitando o cometimento de crimes violentos", disse. 

A ideia do Governo Federal é de pôr em prática um conjunto de ações multidisciplinares e transversais nas áreas de educação, esporte, lazer, cidadania, cultura e empreendedorismo, a partir de diagnósticos locais e planos integrados de ação. O trabalho ainda inclui atuação integrada da Força Nacional de Segurança Pública e das polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar, dentro de estratégias específicas de policiamento, previstas pelo plano integrado criado em conjunto com estados e municípios participantes.

A partir dos resultados obtidos nas cinco cidades selecionadas, o Governo Federal criará protocolos de segurança pública para serem difundidos no resto do país. Um ponto estabelecida é a atuação da Força Nacional de Segurança Pública no policiamento ostensivo, bem como na polícia judiciária e na perícia forense nessas cidades. No primeiro caso, as ações terão prazo de 120 dias, enquanto as demais ações terão prazo de 180 dias a contar de 30 de agosto, podendo ser prorrogado.

Em 23 de maio, quando o projeto Em Frente Brasil ainda estava sendo formulado, o ministro da Justiça, Sergio Moro, e o secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, vieram a Pernambuco acompanhar uma reunião do Pacto Pela Vida. Na ocasião, Moro elogiou publicamente o programa pernambucano: “A lógica do Pacto pela Vida, de integração e definição de responsabilidades, é o caminho correto”.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.