Educação Alunos da Escola de Aplicação do Recife ganham medalhas em Olimpíada de História

Publicado em: 18/08/2019 12:35 Atualizado em: 18/08/2019 14:38

 Ana Carolina do Carmo Santos, Ana Sofia Faria Pereira e Manuela Silvestre de Medeiros, todas de 17 anos, foram premiadas com medalhas de prata. Foto: Escola de Aplicação do Recife FCAP/UPE/Divulgação.
Ana Carolina do Carmo Santos, Ana Sofia Faria Pereira e Manuela Silvestre de Medeiros, todas de 17 anos, foram premiadas com medalhas de prata. Foto: Escola de Aplicação do Recife FCAP/UPE/Divulgação.
Seis equipes da Escola de Aplicação do Recife, vinculada à Universidade de Pernambuco (UPE), ganharam medalhas de prata e bronze na 11ª edição da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), que aconteceu em Campinas (SP). Ana Carolina do Carmo Santos, Ana Sofia Faria Pereira e Manuela Silvestre de Medeiros, todas de 17 anos, foram premiadas com medalhas de prata neste domingo (18). Ana Giulia Salustiano, 15 anos; Amanda Dias, 14, e Stella Mavie, 15, também receberam medalhas de prata. A equipe de Nícolas Veiga Gomes Bezerra, Ana Luíza Aragão de Araújo e Davi Medeiros Pessoa, todos de 16 anos, também foi premiada com a prata.

Os estudantes Luiz Fernando dos Prazeres Galvão, 15; Nickolas Ricardo de Macedo, 15; Humberto Baudel Francisco, 15; Luan Paiva, 15; Miguel Bernardo, 15, e Benjamin Thomáz, 17, também da Escola de Aplicação do Recife, receberam medalhas de bronze. Ruan Portela, Emanuel Davi Lima de Matos Leão e Lívia Lima Bion, todos com 15 anos, também receberam bronze. 

Ao todo, 1,2 mil participantes de escolas públicas e privadas de todos os estados brasileiros estavam na final da competição, distribuídos em 314 equipes, que chegaram nesta etapa após participarem de seis fases online realizadas nos meses de maio e junho.

LEIA MAIS:

Todos os participantes da fase final da olimpíada fizeram uma prova dissertativa no sábado (17). O anúncio dos medalhistas ocorreu neste domingo (18). Foram distribuídas 15 medalhas de ouro, 25 medalhas de prata e 35 medalhas de bronze, de acordo com a pontuação das equipes. Os demais participantes receberam medalhas de honra ao mérito.

Das 12 equipes da Escola de Aplicação do Recife, seis foram premiadas com medalhas de prata e bronze. Foto: Escola de Aplicação do Recife FCAP/UPE/Divulgação.
Das 12 equipes da Escola de Aplicação do Recife, seis foram premiadas com medalhas de prata e bronze. Foto: Escola de Aplicação do Recife FCAP/UPE/Divulgação.
Neste ano, a ONHB contou com 73 mil inscritos de todos os estados do país, o que corresponde a 18,5 mil equipes. O Ceará tem o maior número de finalistas (90 equipes), seguido por Rio Grande do Norte (74 equipes), São Paulo (37 equipes), Pernambuco (36 equipes) e Bahia (27 equipes). A Olimpíada Nacional em História do Brasil é um projeto realizado pelo Departamento de História da Unicamp.

Para a 11ª ONHB, foi mantido o formato de seis fases online, com duração de uma semana cada, compostas por questões e tarefas diversas. As respostas são enviadas exclusivamente pela internet e são obtidas pelos participantes por meio do debate com os colegas de equipe e a pesquisa em livros, internet e a orientação dos professores.

Cada questão traz quatro alternativas, e mais de uma alternativa pode estar correta, cabendo às equipes selecionar a alternativa que considera a mais adequada em resposta à questão. A Olimpíada também mobiliza temas interdisciplinares (geografia, literatura, arqueologia, urbanismo, atualidades) e tem impacto na leitura, compreensão e escrita dos estudantes participantes.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.