direitos humanos Trans e travestis podem alterar prenome e gênero em mutirão

Publicado em: 15/07/2019 09:25 Atualizado em: 15/07/2019 09:31

Foto: Ray Evllyn/SJDH
Foto: Ray Evllyn/SJDH
O Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), programa vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), em parceria com a Defensoria Pública de Pernambuco (DPPE), realiza a segunda edição do mutirão para alteração de prenome e gênero no registro civil, direcionado à população transexual e travesti. O evento acontece em 17 de julho, das 9h às 16h, no auditório da Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH), na Rua Santo Elias, 535, Espinheiro.

A ação visa garantir a agilidade no processo, gratuidade dos serviços nos cartórios e a economia de mais de R$ 200 para cada solicitante. Nesta segunda edição, um pré-agendamento com nomes e contatos dos participantes foi realizado. No total, 24 pessoas serão beneficiadas. De acordo com a coordenadora do CECH, Suelen Rodrigues, a medida irá agilizar ainda mais os atendimentos. "Queremos desta forma poder viabilizar e garantir o direito da população de travestis e transexuais a terem o nome com o qual se reconhecem em seu registro civil e desta forma serem reconhecidos e reconhecidas pela sociedade", explica.

Segundo o secretário-executivo de Direitos Humanos, Diego Barbosa, a segunda edição serve para fortalecer ainda mais os direitos da população transexual e travesti, em Pernambuco. "Essa segunda edição do mutirão representa bem o fortalecimento dos direitos da população trans e travesti que o Governo de Pernambuco busca reiterar cada vez mais. A iniciativa contribui para minimizar situações cotidianas de constrangimentos, preconceitos e violações contra a dignidade humana." O primeiro mutirão realizado no dia 5 de junho beneficiou 44 pessoas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.