Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Local

Tradição

Cavalhada e Cavalgada acontecem nos dias 25 e 26 de maio, em São José do Belmonte

Publicado em: 13/05/2019 20:23 | Atualizado em: 13/05/2019 21:29

Foto: Chico Andrade/SeturPE

O município de São José do Belmonte, no Sertão Pernambucano, será palco das tradicionais Cavalhada e Cavalgada. As duas atividades acontecem nos dias nos dias 25 e 26 de maio, respectivamente. Elas movimentam a economia da cidade e recebem milhares de turistas. 

A Cavalhada Zeca Nirom representa a luta entre os Mouros e os Cristãos. O nome foi dado em homenagem ao Belmontense de mesmo nome, que fundou a atividade no ano de 1996 e faleceu no ano de 2003. Ela tem influência direta nos torneios de cavaleiros da Idade Média e foi trazida ao Brasil no século XVI pelos portugueses. Na apresentação há a disputa para saber qual grupo acerca mais lanças na argolinha. Se é o encarnado (vermelho) ou o azul. Cada equipe tem seis cavaleiros e todos eles utilizam uma lança. Segundo Edízio Carvalho, membro da associação cultural Pedra do Reino, são realizadas duas corridas para acertar a argolinha. “No primeiro momento, o cavaleiro joga a lança por cima da corda e pega do outro lado. Isso se chama o “Lance das Lanças”. Já no segundo momento, o cavaleiro utiliza a espada para acertar a lança”, explica. 

A concentração ocorre às 14h, em frente a Igreja Matriz de São José, localizada no centro da cidade, onde se apresentará a Banda Filarmônica do município e em seguida a Banda de Pífano do Mestre Ulisses.  “O cortejo até o Carvalhão virá com duas portas-bandeiras de frente, seguido pela Rainha da Cavalhada, Lara Barros, acompanhada dos reis Toninho Carvalho (azul) e Caio Neres (encarnado). Em seguida vem as amazonas, que são as mulheres a cavalo, representando cada cor. No final, vem os cavaleiros representando cada cor. Eles vestem manto, chapéu e carregam uma lança na mão.” descreve Carvalho. Ao passar em frente ao Castelo Armorial, na metade do caminho, o grupo encontra com as madrinhas, as daminhas e as floristas. 

O Carvalhão é o centro de convenções do município. Além das etapas da Cavalhada, haverá diversas apresentações de danças. O evento termina às 17h30 com a divulgação do grupo vencedor e a coroação dos reis. Depois, o cortejo volta até a Igreja Matriz, onde acontece a cerimônia de despedida do público e o agradecimento por mais uma Cavalhada. 
Cavalgada à Pedra do Reino 

Foto: Chico Andrade/SeturPE

E para  quem acha que a festividade termina por aí, se engana. O povo belmontense dá aula de efervescência cultural. No dia seguinte acontece a Cavalgada à Pedra do Reino, que é um cortejo com os cavaleiros até o Centro Histórico Ilumiara Pedra do Reino. Na última edição, o evento reuniu cerca de 5 mil pessoas e a expectativa este ano é dobrar este número. São 27 quilômetros de percurso e uma programação recheada de emoções. A saída acontece às 6 horas da manhã, na Igreja Matriz até o Sítio  Histórico Pedra da Pedra do Reino. Ela é conduzida pelo Rei Alberto Moura e pela Rainha Walesca Catarine, eleitos pela Associação da Pedra do Reino. O grupo segue em cortejo às 6h30. 

A partir das 6h30, saem abrindo o cortejo o Rei e a Rainha, em seguida doze cavaleiros, sendo seis do encarnado e seis do azul. Em seguida, vem os porta-bandeiras, representados pelos vaqueiros e outros personagens, como Lampião, Maria Bonita e os Coronéis da década de 20. 

Confira a programação

8h30 - Café da Manhã no Sítio Areinhas, a 10 quilômetros do percurso. 
10h30 - Bate-sela no Sítio Pelas, a 20 quilômetros do percurso.  Nesta parada, há o sorteio de prêmios, entre eles, uma motocicleta nova.  
12h - Chegada no Ilumiara Pedra do Reino  

A partir do meio-dia, acontece a tão esperada chegada da comitiva real no Centro Histórico. Ao som das músicas “Vangelis” e “A última Nau”, os cavaleiros apresentam um grande espetáculo. “Eles fazem um arco com a lança e toda a comitiva passa, emocionando uma multidão de pessoas”, acrescenta Edízio. Após o espetáculo, acontecem diversas apresentações de forró e aboio. O evento encerra por volta das 16 horas. 

Foto: Chico Andrade/SeturPE

O percurso da cavalgada é de 27 km para quem vai a Cavalo e de 39 km para quem vai de carro. O poeta Ernandes Alves de Carvalho. que tem vários livros sobre a atividade, explica que o evento é inspirado no romance da Pedra do Reino, do saudoso escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, assim como todos os personagens. “Ele surgiu no dia 19 de setembro de 1993 e foi idealizada por Ernesto Sales, que gostava de andar a cavalo. A Cavalgada tem a intenção de relembrar a comitiva que combateu o Movimento Sebastianista na cidade”. elucida. Durante a programação haverá também apresentações de grupos populares locais, como por exemplo, Banda de Pífanos. Haverá também a primeira mostra de arte da Pedra do Reino e outras atividades. 
 
O Diario preparou uma lista com o número de pousadas e hoteis para os interessados em hospedagem na cidade.  A Pousada Por do Sol, que fica próximo ao posto Ipiranga, na Avenida Euclides de Carvalho. por exemplo, dispõe de 18 quartos. 

Confira a lista: 
1. Pousada Santa Terezinha (87-38841444 / 87-999582444 / 87-996101009)
2. Pousada Pedra Encantada (87-38841740 / 87-999625790)
3. Pousada Pôr do Sol (87-988563887 / 87-996473017)
4. Pausada Nossa Senhora do Carmo (87-999369332)
5. Hotel Fazenda Alto do Guerra (87-999979418 / 87-996575952 / 87-38841722) 


 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A importância de um atendimento farmacêutico correto
Primeira Pessoa com Padre Reginaldo Veloso
Sobre Vidas: Casinha - Associação dos Amigos da Vila do Papelão
Dp Auto no Jeep Experience
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco