Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Dados

Pernambuco registrou quase 1,4 mil casos de picadas de escorpião em 2017

Segundo relatório do Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco, os maiores índices foram de acidentes com animais peçonhentos e ingestão de medicamentos

Publicado em: 22/01/2018 10:29

Foto: Miva Filho/Divulgação
O Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco (Ceatox-PE) registrou um aumento de 6% dos atendimentos em 2017, informou o balanço divulgado pela Secretaria de Saúde de Pernambuco nesta segunda-feira (22). As principais chamadas envolveram acidentes com escorpião e a ingestão de medicamento e chumbinho. Segundo o relatório, o Ceatox realizou 4.857 primeiros atendimentos através do 0800.722.6001 para auxiliar situações de intoxicação exógena ou acidentes com animais peçonhentos. O número foi 6% maior que 2016, com 4.578 casos. 

Dos 1.975 primeiros atendimentos relacionados com animais peçonhentos, 1.329 foram de picadas de escorpião. Para esse tipo de ocorrência, o Ceatox indica "lavar o local da picada apenas com água e sabão e seguir para a unidade de saúde mais próxima para que seja feito o tratamento para dor". Se a vítima for uma criança, pode haver indicação do uso do soro contra o veneno. O tratamento está disponível no Hospital da Restauração (Recife), Hospital Jaboatão-Prazeres (Jaboatão dos Guararapes) e Hospital João Murilo (Vitória de Santo Antão). 

A segunda demanda está relacionada ao uso de medicamentos. Em 2017, foram 1.213 casos, sendo 302 envolvendo crianças entre 1 e 4 anos. Em 2016 foram 1.036 (269 em crianças de 1 a 4 anos). Em seguida, aparece casos de envenenamento com chumbinho. O agrotóxico agrícola é vendido criminosamente e clandestinamente e popularmente conhecido como eficiente para matar ratos.

O Ceatox alerta que o produto é perigoso para os seres humanos, pois sua ingestão pode causar o óbito em poucas horas. Em 2017, foram 375 casos envolvendo o agrotóxico agrícola, já em 2016 foram 361. "O chumbinho causa problemas no sistema nervoso, respiratório, cardiovascular e digestivo. Depois da ingestão, a pessoa, pode apresentar diminuição dos batimentos cardíacos, dor abdominal, distúrbios neurológicos, e dificuldade de respirar", explica a pediatra e coordenadora do Ceatox, Lucineide Porto. 

ATENDIMENTO

Através do 0800.722.6001 o Ceatox funciona 24 horas, todos os dias da semana e a ligação é gratuita. O Centro de assistência está apto a auxiliar os profissionais de saúde na realização do atendimento especializado, além de orientar a população. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Combate à gordofobia vira lei no Recife
Medicamento contra Covid-19 é recomendado pela OMS
Manhã na Clube: José Queiroz (PDT), Kleiton Boschi, Clarissa de França e Cristina Pires
Skate feminino decola no Brasil após Olimpíadas
Grupo Diario de Pernambuco