Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Local
CATOLICISMO Papa Francisco cita documentos de dom Hélder Câmara na celebração dos 50 anos da Renovação Carismática Católica Texto do arcebispo emérito da Arquidiocese de Olinda e Recife ressalta que a RCC está a serviço do homem e que a isso se somam o louvor e o batismo no Espírito Santo

Por: Alice de Souza - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/06/2017 20:58 Atualizado em: 04/06/2017 21:39

A Renovação Carismática Católica nasce ecumênica. É uma corrente de graça", disse o papa Francisco - Foto: Alice de Souza (A Renovação Carismática Católica nasce ecumênica. É uma corrente de graça", disse o papa Francisco - Foto: Alice de Souza)
A Renovação Carismática Católica nasce ecumênica. É uma corrente de graça", disse o papa Francisco - Foto: Alice de Souza
Se a Renovação Carismática Católica já chegou a ser considerada um movimento contrário aos preceitos da Igreja Católica e rechaçada pelos setores conservadores da instituição religiosa, o Jubileu de Ouro deixou essas memórias no passado. As celebrações de 50 anos da RCC, realizadas da última quinta-feira até ontem, em Roma e no Vaticano, foram a consolidação do movimento. Cerca de 300 mil pessoas de 128 países participaram das comemorações e viram o próprio papa Francisco, que no passado já chegou a tecer críticas à RCC, reconhecer o uso da alegria e das comunicações como instrumento de evangelização.

Diante de milhares de pessoas no Circo Máximo, o Santo Padre ressaltou que o anúncio cristão é sempre alegre. “Não se pode fechar o Espírito Santo numa gaiola. Pode ser que esse modo de orar não seja apreciado por alguns, mas é certo que se insere plenamente na tradição bíblica. Estamos celebrando a obra do Espírito Santo na Igreja. A Renovação Carismática Católica nasce ecumênica. É uma corrente de graça. Muitas obras humanas nascem inspiradas pelo Espírito Santo”, afirmou.

Segundo o papa, os 50 anos também são uma oportunidade de reflexão, para fortalecimento do caminho em busca da paz mundial e da unidade. Francisco citou pensadores luteranos e, durante a vigília, esteve acompanhado de representantes de outras religiões. “É a metade da vida, as rugas começam a ficar mais profundas. É o momento de parar e refletir, de ir adiante com mais força, deixando para trás o pó do vento acumulado”, acrescentou. Ainda durante a Vigília, o papa chegou a citar documentos escritos por dom Hélder Câmara, no qual está ressaltado que a RCC está a serviço do homem e que a isso se somam o louvor e o batismo no Espírito Santo. Ontem, o Santo Padre participou de missa de pentecostes, na Praça de São Pedro, que também marcou o encerramento das comemorações do Jubileu de Ouro. Além de voltar a falar da paz mundial e citar o atentado em Londres, reverenciou os carismáticos presentes.

Para o fundador da Obra de Maria e presidente da Fraternidade Internacional das Novas Comunidades de Vida e Aliança de Direito Pontifício (Frater), Gilberto Barbosa, o Jubileu marcará também um novo momento para a RCC. “Como missão, a sensação é de que é apenas o começo. As portas se abriram mais. Hoje o Vaticano, os cardeais e bispos, sabe que o papa aprecia a renovação, então há uma simpatia maior. O discurso é de acolhida. E o próprio papa quer unificar os escritórios das comunidades novas e dos grupos de oração”, afirmou. A população estimada de carismáticos em todo o mundo representa 11% do total de católicos. No Brasil, são 3,8 milhões de pessoas.

Brasileiros no Jubileu

"É uma emoção muito grande, que a gente nunca teve na vida e nunca sentiu", disse Celso Viccari - Foto: Alice de Souza ("É uma emoção muito grande, que a gente nunca teve na vida e nunca sentiu", disse Celso Viccari - Foto: Alice de Souza)
"É uma emoção muito grande, que a gente nunca teve na vida e nunca sentiu", disse Celso Viccari - Foto: Alice de Souza
Dois anos pagando a viagem. Uma preparação espiritual e também financeira para estar no Jubileu de Ouro da Renovação Carismática Católica, na Itália. Em 76 anos de vida, o agricultor aposentado Celso Viccari, 76 anos, nunca havia saído do Brasil. A celebração católica foi a primeira delas. “É uma emoção muito grande, que a gente nunca teve na vida e nunca sentiu. Estar no meio de tanta gente, de tantos países. É o cristianismo unido em uma só missão”, contou. Visivelmente emocionado, Celso carregava orgulhoso uma bandeira do Brasil nas mãos e o brasão da cidade onde vive, Casca, no Rio Grande do Sul, nas costas. Ele veio com a esposa e amigos, em um grupo de 86 pessoas. A peregrinação deles terminará em Pernambuco, na cidade de Ferreiros, onde nasceu o pároco da igreja que frequentam.

Os amigos Tony Souza, Luís Matheus e Thiago Matias chegaram cedo ao Circo Máximo para chegar o mais de perto possível do papa Francisco com uma bandeira do Sport - Foto: Alice de Souza (Os amigos Tony Souza, Luís Matheus e Thiago Matias chegaram cedo ao Circo Máximo para chegar o mais de perto possível do papa Francisco com uma bandeira do Sport - Foto: Alice de Souza)
Os amigos Tony Souza, Luís Matheus e Thiago Matias chegaram cedo ao Circo Máximo para chegar o mais de perto possível do papa Francisco com uma bandeira do Sport - Foto: Alice de Souza
Na celebração da renovação, vale misturar futebol e religião. Pelo menos para os amigos Tony Souza, 30 anos, Luís Matheus, 21, e Thiago Matias, 21. Os pernambucanos chegaram cedo ao Circo Máximo, para pegar lugar na primeira fila e acompanhar o mais de perto possível a vigília com o papa Francisco. Com eles, trouxeram uma bandeira do Sport Clube Recife, que ficou em destaque com as de vários países do mundo, reunidos no mesmo espaço. “É para que o time também seja abençoado”, brincaram. Apesar da brincadeira, o compromisso deles com a fé é sério. Dois dos três amigos coordenam, inclusive, o ministério da juventude da RCC para a Arquidiocese
de Olinda e Recife. “A gente veio mesmo sem dinheiro. Ainda estamos pagando, dividimos em 10 vezes e ainda faltam seis. Quem conhece a renovação sabe que ela é valiosa. Comemorar o Jubileu é uma graça”, explicou Luís Matheus.

"Passei a conhecer mais a bíblia", comentou capixaba Adelaide Rosa - Foto: Alice de Souza ("Passei a conhecer mais a bíblia", comentou capixaba Adelaide Rosa - Foto: Alice de Souza)
"Passei a conhecer mais a bíblia", comentou capixaba Adelaide Rosa - Foto: Alice de Souza
O Jubileu de Ouro da Renovação Carismática Católica (RCC) foi uma oportunidade de comemorar de forma diferente os 70 anos para a aposentada capixaba Adelaide Rosa. A família queria fazer uma festa, assim com o ocorreu na comemoração dos 60 anos, mas ela decidiu viajar com duas amigas e escolheu a celebração católica como destino. “Sou bem católica, frequento os grupos de oração da renovação há 40 anos. Eles me trazem tranquilidade, passei a conhecer mais a bíblia”, comentou ela, enquanto esperava com paciência e animação a fila para entrar na Basílica de São Paulo Fora dos Muros, em Roma.


Almir Rouche, um guerreiro da folia
O Galo da Madrugada conectando gerações
O passo a passo do Galo da Madrugada 2020
Literatura pernambucana na sala de aula
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco