Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local
Fenômeno Chuvas foram causadas por vórtice ciclônico e intensificadas pelo El Niño Segundo Apac, no Recife, choveu mais da metade do previsto para o mês

Publicado em: 29/01/2016 20:46 Atualizado em: 29/01/2016 21:31

Fenômeno causou fortes chuvas, rajadas de ventos e até chuva de granizo. Foto: Peu Ricardo/DP
Fenômeno causou fortes chuvas, rajadas de ventos e até chuva de granizo. Foto: Peu Ricardo/DP

As fortes chuvas que atingiram a Região Metropolitana deixaram um rastro de destruição e pânico entre os pernambucanos. O tão falado El Niño intensificou um fenômeno denominado Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (Vcan) e causou as tempestades, rajadas de vento e até precipitação de granizo. A população precisou ter cuidado e paciência com as quedas de árvores, alagamentos, engarrafamentos e proliferação de insetos. Um ciclista morreu após a queda de uma árvore na Avenida Rosa e Silva, no bairro das Graças. Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Climas, o clima deve permanecer assim até o domingo com as mesmas características.

O Vórtice se deslocou do oceano ao continente e as bordas dele pararam em Pernambuco. Com a temperatura média elevada - máxima 33° C -, ele gerou nuvens do tipo cumulusnimbus de 12 km de altura (altitude maior do que o nível de tráfego dos aviões). O fenômeno causou precipitações com intensidade moderada a forte, trovoadas, descargas elétricas, rajadas de vento e,  com menor frequência, granizo. Devido ao rápido deslocamento desse tipo de sistema - que pode ocorrer em aproximadamente uma hora -, não é possível prever esta situação rara com antecedência satisfatória e nem sua intensidade. No Recife, a velocidade de ventos observada chegou a 80km/h, com força suficiente para arrancar uma árvore pela raiz.

Moradores do interior registraram, em vídeo, o momento em que pequenas pedras de gelo caíram das nuvens nos municípios de Pedra, Pesqueira, Garanhuns e João Alfredo, no Agreste, e em Arcoverde, no Sertão. Com estes registros, sobe para sete o número de municípios atingidos pelo fenômeno e, segundo a Apac, não há possibilidade de prever a ocorrência desse tipo de precipitação, mas chuvas bem fortes devem atingir o Sertão nas próximas 24 horas.

Publicado por


Em três horas choveu…


62 mm em Olinda
52 mm em Recife
48 mm em Jaboatão dos Guararapes
42 mm em Paulista
41 mm em Camaragibe
38 mm em Igarassu

A Apac adiantou que, em três horas, choveu no Recife mais do que o registrado durante todo o mês de janeiro de
2015, quando foi registrado 64,6 mm de precipitação. A média histórica para o mês é de 103 mm, ou seja, choveu mais do que a metade do previsto. Em Olinda, município em que mais choveu, as precipitações superaram em três vezes o total registrado durante todo o mês de janeiro de 2015, quando choveu apenas 24,6 mm.



Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Reino Unido aprova mais um medicamento contra Covid-19
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Grupo Diario de Pernambuco