Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas
Insegurança DHPP vai atuar permanentemente nas bocas de fumo para inibir homicídios Operação DHPP nas Ruas é alicerçada no fato de que principal motivação homicídios está associada ao tráfico

Por: Osnaldo Moraes

Publicado em: 17/07/2017 23:04 Atualizado em:

O Departamento de Homicídio de Proteção a Pessoa (DHPP) vai atuar permanentemente nas chamadas bocas de fumo mapeadas do Recife. A decisão foi informada no final da tarde pela Polícia Civil da Pernambuco (PCPE), citando a operação DHPP nas Ruas, com a argumentação de que o tráfico de drogas é a principal motivação para o cometimento de homicídios no estado.

Para indicar que o tráfico de drogas seria a principal motivação de homicídios em Pernambuco, a Polícia Civil se refere a dados divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) referentes a crimes violentos letais intencionais (CVLIs) do mês de junho, quando teriam ocorrido 105 mortes que tiveram motivações creditadas a entorpecentes/drogas. O informe amplia a descrição de causas para disputa de território ou pagamento de dívidas atribuídas à prática do tráfico de entorpecentes, equivalendo a 27,6% do total de homicídios (380) contabilizados.

O segundo item dos dados de junho é definido como acerto de contas, com 88 homicídios (23,2%); seguindo-se conflitos na comunidade, com 65 (17,1%); a definir, com 48 (12,6%). Os demais são: excludente de ilicitude, com 24 (6,3%); outras atividades criminais, com 18 (4,7%), com crimes contra o patrimônio resultante em morte, com 14 (3,7%); outras motivações, com 8 (2,1%); feminicídio, com 8 (2,1%); e conflitos afetivos ou familiares (exceto feminicídio), com 2 (0,5%). 

Segundo a Polícia Civil, na última quinta-feira da semana passada uma equipe de policiais civis comandada pelo delegado Diego Acioli prendeu três foragidos do sistema penitenciário durante a operação DHPP nas Ruas. Um deles foi Luiz Carlos de Oliveira, foragido desde 2003, de São Paulo, que responde por homicídio e tentativa de homicídio contra policiais militares no estado de origem. O segundo, Ivson Carvalho da Silva, condenado a 20 anos de prisão pelos crimes de latrocínio, associação criminosa e tráfico de drogas, foragido desde outubro de 2014. E o terceiro foi Laercio Francisco da Silva, foragido há quase um ano, condenado a seis anos e oito meses por latrocínio e roubo qualificado.

Assassinato de comissário

Também será apresentado nesta terça-feira as imagens de dois homens que teriam participado do latrocínio que vitimou o comissário aposentado da Polícia Civil, José Augusto Bonnannete, no mês passado. 


Entrevista com o governador Paulo Câmara
Um milhão de doses da CoronaVac chegam em São Paulo
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 03/12
Vídeo mostra confusão envolvendo agentes da CTTU em Santo Amaro
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco