Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de TECNOLOGIA
Transporte T81: concorrente recifense do Uber começa a funcionar A plataforma oferece corridas de carros e mototáxi, serviço não regulamentado na cidade

Por: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/03/2016 15:50 Atualizado em: 28/03/2016 16:17

O T81 promete ser até 60% mais barato que táxi.
Foto: Maria Carolina Santos/DP.
O T81 promete ser até 60% mais barato que táxi. Foto: Maria Carolina Santos/DP.

Segundo aplicativo de corrida de carros particulares a chegar no Recife, a plataforma recifense T81 começou a funcionar na cidade nesta segunda-feira. Entrando no mercado de transportes, aquecido pela polêmica da legalização do serviço, o app é mais um a participar da briga e a disputar com a classe dos taxistas e o concorrente mais famoso, Uber.

A principal diferença entre o Uber e o T81 é que o segundo opera com a circulação de motos. Como a atividade de mototaxista não é regulamentada no Recife, de acordo com a Lei Municipal 16.856/2003, a polêmica aumenta em torno do funcionamento da ferramenta que justifica defender a concorrência.

"É necessária a regulamentação do serviço, inclusive as cobranças de tributos. A concorrência é saudável e promove qualidade e melhoria no serviço", defende o advogado e sócio do T81, Flávio Guardia. Ao todo a proposta do app contempla quatro serviços: carro popular, executivo, mototáxi ou moto-delivery. Guardia conta que o valor aproximado do investimento feito entre desenvolvimento de software, licença de uso e estrutura física tenha sido de cinco milhões. O aplicativo pode ser baixado tanto em sistemas Android como iOS.

Por enquanto o início da operação será com 200 carros e 500 motos somente no Recife. O objetivo é levar o T81 para outras cidades, como Rio de Janeiro e São Paulo. "Nosso foco é que os passageiros tenham uma experiência melhor em transportes dentro da cidade. Existe uma proposta para que os táxis também fiquem disponíveis pelo aplicativo, mas trabalhamos com uma conduta de atendimento e teríamos que unificar com esses motoristas. Ainda temos muito a avaliar", explica o sócio fundador da T81, Josival Bezerra.

Para chegar ao modelo em que o T81 opera foram feitas mais de 100 corridas pelo Uber para observar o padrão seguido, segundo Josival. O controle de atendimento dos motoristas, é feito pelo que a empresa chama de "cliente oculto" para testar as corridas. Além disso, cada usuário gera uma avaliação. "Quando um passageiro entra no carro ele precisa saber o nome do motorista, e ser informado que o ar condicionado está sob seu controle, que tem água à disposição. Se algo estiver fora do padrão o colaborador fica 24 horas ou uma semana bloqueado", diz criador da ferramenta.

O aplicativo pode ser baixado nos sistemas Android e iOS.
Foto: Divulgação.
O aplicativo pode ser baixado nos sistemas Android e iOS. Foto: Divulgação.
A empresa possui 12 funcionários e procura concorrer com o Uber com a mudança na tarifa, que é cobrada por quilometragem e valor fixo na bandeirada. Os preços variam de acordo com o tipo do serviço. Para os veículos executivos é cobrado R$ 1,99 por quilômetro rodado, para carros populares R$ 1,70 por quilômetro, já para motos, R$ 0,92 por quilômetro rodado. Para Josival, os valores teriam vantagem de até 60% no que é cobrado em viagens de táxi. As corridas podem ser pagas por cartão de crédito através do aplicativo ou à vista para o motorista. O app tem ainda um programa de fidelidade e acúmulo de pontos, chamado Clube T81.

Segundo Josival, trabalhando oito horas diárias, é possível ganhar R$ 5 mil a cada mês, já que a remuneração do aplicativo é menor que a exigida no Uber. O valor da corrida fica integral para o motorista. Para cada corrida de moto R$ 1 é repassado para o aplicativo e, dependendo da categoria dos carros, a remuneração pode ser de R$ 2 e R$ 3. O aplicativo pretende chegar a cinco estados a cada mês e em 30 dias começa a operar também no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O posicionamento da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) continua o mesmo para esse tipo de serviço. A CTTU informou, através de nota, que o serviço de aluguel de veículos particulares continua como irregular e a "fiscalização desse tipo de transporte já acontece de forma contínua". O valor da multa para os condutores de transporte individual de passageiros é de R$ 4.322,18.

Regulamentação
Está em análise, desde novembro do ano passado, uma proposta do senador Lasier Martins (PDT-RS), na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que visa permitir a regulamentação do serviço de transporte individual de passageiros. O projeto (PLS 726/2015) considera os serviços remunerados com contratação prévia como uma alternativa aos táxis.

Segundo a vereadora Isabella de Roldão (PDT), a Prefeitura do Recife está disposta a regulamentar o transporte ainda essa semana. "A discussão foi proposta no ano passado, mas a Prefeitura se absteve porque o Uber ainda não operava na cidade. Agora precisamos correr para avaliar essas questões. Nesta segunda-feira houve uma audiência pública, proposta pelo deputado Rodrigo Novaes (PSD), para discutir o impasse.

Primeira Pessoa com Sam Nóbrega
O esforço de Guilherme e a rede de solidariedade que surgiu
Sobre Vidas: Natanael Ramos e Gil Sormany
Salão de Tóquio: Mitsubishi 2020
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco