Diario de Pernambuco
Busca

ELEIÇÕES

Danilo Gentili sobre Bolsonaro: 'A maior fraude que a direita brasileira viveu'

Apresentador lista grupos de eleitores que, na visão dele, não votaram no ex-presidente

Publicado em: 10/02/2024 13:22 | Atualizado em: 10/02/2024 19:07

"As eleições foram definidas pela gigantesca apatia dos que acreditavam em alguma mudança, mas viram que o Brasil é o lugar onde estamos condenados toda eleição a ter que decidir entre as trevas e a escuridão", escreveu Danilo Gentili (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
"As eleições foram definidas pela gigantesca apatia dos que acreditavam em alguma mudança, mas viram que o Brasil é o lugar onde estamos condenados toda eleição a ter que decidir entre as trevas e a escuridão", escreveu Danilo Gentili (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
O humorista Danilo Gentili, admirado pelos membros do Movimento Brasil Livre (MBL), publicou um texto, chamado "FraudeNasUrnas", fazendo críticas ao ex-presidente Jair Bolsonaro. O apresentador do SBT já foi aliado do ex-chefe do Executivo e chegou a entrevistá-lo em seu programa duas vezes.
 
Segundo Danilo, assim como Bolsonaro, ele não acredita nas eleições e na imprensa, mas sentiu a necessidade de escrever o texto para poder contra-argumentar a ala bolsonarista de que o presidente não foi eleito após uma fraude nas urnas eletrônicas.

Para o humorista, Bolsonaro não recebeu votos "daqueles que acreditaram nele durante a pandemia, ficaram tomando ivermectina, não se vacinaram e morreram". "Esses certamente não votaram nele", escreveu. 
 
Também, de acordo com Danilo, não votaram no presidente parentes de vítimas da COVID-19, que presenciaram pais, mães, tios e avós morrerem na pandemia por acreditarem no discurso bolsonarista. "Muitos desses nem eram esquerdistas, mas votaram no Lula, só de raiva. Conheço gente assim."

Na lista, o humorista ainda cita os simpáticos por uma mudança e que votaram no ex-presidente por causa da Lava-Jato. "Esses pegaram nojo de Bolsonaro quando o viram fritar o Moro e afirmar orgulhoso com a própria boca: 'Eu acabei com a Lava-Jato'", escreveu.
 
"Também não votaram em Bolsonaro os sedentos por justiça que comemoraram o desmantelamento do maior esquema de corrupção do país e que depois viram Bolsonaro e seus filhos dizerem: 'se tiver que soltar o Lula que solte!' Quando o Lula foi solto, Bolsonaro perdeu boa parte desses votos", afirmou.

Danilo segue dizendo que também não votaram no ex-presidente aqueles que acreditaram nele quando ele disse: 'Se for para governar com toma-lá-dá-cá, eu tô fora'. "Boa parcela dessas pessoas se sentiram feitas de idiota quando o viram, após eleito, afirmar: 'Eu sou do centrão, sempre fui do centrão'".

A lista continua
 
Também não votaram em Bolsonaro aqueles que estavam cansados das censuras e autoritarismo do PT e depois viram o próprio governo Bolsonaro censurando filmes, outdoors e críticos; os que estavam exaustos do patrulhamento da milícia digital do PT e depois sofreram patrulhamento e linchamento da milícia digital do Bolsonaro; os que acreditaram nas promessas de cortes estatais e depois o viram sancionar o fundão eleitoral, manter outras mamatas e constataram que a TV Brasil e outros ministérios continuaram lá; e os que acreditaram que ele poderia manter alguma dignidade e independência quando o viram dizer 'Que investiguem meu filho, se ele tiver culpa que pague'.

"E por fim, não votaram em Bolsonaro aqueles que acharam que ele se esforçaria para governar democraticamente e tentaria passar algumas reformas prometidas, mas tudo que viram foi ele criar narrativas de convulsão social e desfilar com cavalo todo 7 de Setembro em frente a faixas pedindo AI-5. Muitos não esquerdistas não votaram no Bolsonaro por medo de golpe institucional."

Segundo Danilo, basta somar o número de votos brancos e nulos para chegar a uma conclusão. "Some com os que não votaram a favor do Lula e sim contra o Bolsonaro. O resultado dessa conta é a realidade que aí está", escreveu. "As eleições foram definidas pela gigantesca apatia dos que acreditavam em alguma mudança, mas viram que o Brasil é o lugar onde estamos condenados toda eleição a ter que decidir entre as trevas e a escuridão."

Por fim, o humorista questionou seus eleitores: "Acha mesmo que alguém precisou se dar ao trabalho de fraudar as urnas para que a descarga fosse acionada contra esse oportunista mentiroso?". "A maior fraude que a direita brasileira viveu não se chama urna eletrônica. Se chama Bolsonaro", concluiu. 
 
Confira a matéria no site do Estado de Minas.  

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL