Diario de Pernambuco
Busca

ELEIÇÕES 2022

Busca por apoio de artistas gera conflito em campanha presidencial

Publicado em: 19/07/2022 14:04

 (Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação PT e Reprodução/Instagram)
Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação PT e Reprodução/Instagram
Os candidatos da polarização, nas eleições deste ano - Lula e Bolsonaro - seguem pela busca de engajamento nas campanhas nas redes sociais. Desde a semana passada, quando Anitta decidiu declarar publicamente o apoio a Lula e iniciar um diálogo direto com o ex-presidente, as interações nas redes do petista ganharam um boom, de forma orgânica. De acordo com levantamento do Observatório das Eleições, da Vert.se Inteligência Digital, houve um crescimento de 66% no engajamento, com 4,85 milhões de interações no Twitter. Enquanto isso, a campanha de Bolsonaro se manteve em alta, com engajamento de 68%, segundo a mesma pesquisa.

Mas, diferentemente de Lula, a escolha de temas de Bolsonaro tem se fixado em notícias factuais, que fazem acenos às mulheres e jovens. Um ponto de diferença usado na campanha presidencial de 2018, quando o presidente levantava a bandeira do antipetismo e da anticorrupção. Ainda que Jair Bolsonaro (PL) tenha o apoio de artistas de renome, principalmente no meio sertanejo, o chefe do Executivo não quer se alinhar a influenciadores ou artistas.

De acordo com interlocutores da sua campanha, até o momento a ordem é para manter assim, mesmo que o assunto tenha causado uma divisão de opiniões entre Bolsonaro e os dirigentes do PL. O monitoramento mostrou que os temas de maior interação na semana passada, associados ao seu nome, foi a ligação de Bolsonaro para a família do petista assassinado em Foz do Iguaçu e a fala de que o médico que estuprou uma paciente deveria “apodrecer na cadeia”, com com 4,22 milhões e 1,8 milhões de interações, respectivamente.

Na própria campanha, cogita-se falar com a classe artística que apoia o presidente, mas nenhuma estratégia foi definida. De acordo com fontes dos bastidores, os contatos foram feitos de forma tímida com poucos nomes que não se posicionaram nem para um lado, nem para o outro da polarização. Porém, não seguiu.

O entrave para isso tem sido o próprio Bolsonaro, com um perfil que resiste a pedir apoio, sobretudo de forma remunerada. Para ele, a aproximação deve acontecer de forma totalmente orgânica. No entanto, com o movimento agressivo de Anitta em defesa de Lula, o assunto tende a reascender nas conversas entre os dirigentes da campanha.
 
Cuidado na aproximação 
 
A cautela com esse tipo de apoio também tem acontecido pelo lado petista. Alguns interlocutores consideraram a movimentação de Anitta estratégica para abertura de espaço em um ambiente que ainda é dominado por Bolsonaro, principalmente por ter se elegido, em 2018, com as redes sociais. Aliás, a falta de agilidade em responder a artista no primeiro momento gerou críticas dentro do partido.

A postura da campanha foi proposital, porque, de acordo com articuladores, qualquer atitude mais forte poderia configurar campanha antecipada. Segundo o partido, o momento é de “montar uma chapa para fazer uma campanha de massa com uma base forte”.

“A medida que põe a cara [Anitta], ela já disse que não é petista, onde ela vai já é algo dela. Não se pode ser acusado [o Lula] de campanha antecipada, mas a militância pode fazer na rede social. O importante é a gente na rua, fazendo campanha. Agora, estamos aproveitando a militância", revelou um parlamentar petista.

"A mobilização de massa não é feita de modo individual. Já nas redes sociais, a pessoa faz de dentro do quarto dela. As redes sociais cumprem um papel importante de esclarecimento, vai ser um instrumento fundamental, mas vai ser adicionado, profissionalizado e vamos contar com a estrutura da militância para movimentar”, continuou. 

Janaína Xavier, head de Inteligência da Vert.se, acredita que a campanha de Lula está entendendo as oportunidades que pode explorar no meio digital e com a aproximação de Anitta irá mudar a estratégia. “Acho que o Lula está pegando as oportunidades agora. A equipe do digital poderia não estar alinhada com o pessoal dos diretórios, de planejamento de campanha, não esperavam por isso, não tinha um alinhamento estratégico com a campanha digital e, talvez, com medo de errar na estratégia, eles esperaram. Por mais que se tenha uma estratégia de campanha ela precisa estar alinhada com o digital”, explicou.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

Lula promete continuidade de auxílio de R$ 600 caso seja reeleito

13/08/2022 às 14h41

Prazo para pedir voto em trânsito termina na próxima quinta-feira

13/08/2022 às 12h58

Líderes neopentecostais pregam para reeleger Bolsonaro

13/08/2022 às 08h35

Deputado Joel da Harpa elabora PL contra a publicidade de alimentos ricos em açúcar nas escolas

12/08/2022 às 22h44

Novo diretor da Anvisa toma posse nesta sexta-feira

12/08/2022 às 22h42

Encontro de candidatas negras do Nordeste debate projeto político contra o racismo

12/08/2022 às 22h10

Silvio Costa critica Marília Arraes por escolha de candidato ao Senado

12/08/2022 às 21h50

TSE divulga cálculo para distribuição de tempo no horário eleitoral

12/08/2022 às 21h41

Roberto Jefferson registra candidatura à Presidência no TSE

12/08/2022 às 21h36

Defesa afirma que supersalários divulgados 'apresentam incorreções'

12/08/2022 às 20h49

Após reajuste no Judiciário, parlamentares também querem aumentar salários

12/08/2022 às 20h44

Barroso envia à PGR acusação contra Bolsonaro por crimes durante a pandemia

12/08/2022 às 19h21

D'Ávila fala em 'erradicar pobreza extrema' em quatro anos

12/08/2022 às 19h16

Bolsonaristas confundem tenente da FAB com Taylor Swift

12/08/2022 às 19h11

Bolsonaro sobre carta pela democracia: 'Preocupados com minha popularidade?'

12/08/2022 às 18h13

PL pedia exclusão do material da internet alegando propaganda eleitoral antecipada e ofensa à honra

TSE nega pedido para excluir vídeo em que Lula chama Bolsonaro de mentiroso

12/08/2022 às 17h23

Ministro indicado pelo presidente Bolsonaro pediu mais tempo para analisar ações que envolvem o chefe do Executivo

Mendonça suspende análise de inquéritos contra Bolsonaro no STF

12/08/2022 às 17h18

Até agora foram registradas 10 candidaturas à Presidência da República

Prazo para registro de candidatos termina na segunda

12/08/2022 às 17h12