Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

PRIVATIZAÇÃO

Bolsonaro faz nova visita a MG amanhã e anuncia privatização da Eletrobrás

Publicado em: 17/10/2021 14:32

 (Foto: Ramon Lisboa/EM/DA Press)
Foto: Ramon Lisboa/EM/DA Press
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participará na manhã desta segunda-feira (18/10) do lançamento de um plano hidrográfico na nascente do Rio São Francisco, em São Roque de Minas, Região Norte do estado. O programa, batizado de Jornada das Águas, é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Regional e contará com novas visitas aos nove estados do Nordeste do Brasil - há expectativas de lançamentos ou entregas de obras nessas visitações. 

Em São Roque, Bolsonaro estará acompanhado de demais autoridades do governo federal, como o ministro do Desenvolvimento Regional (Rogério Marinho), e alguns outros políticos - vereadores, prefeitos e deputados. Além do lançamento do plano hidrográfico - que promete melhoria geral na questão -, o presidente vai anunciar a privatização da Eletrobras.

Bolsonaro sancionou, com 14 vetos, em julho deste ano, a Medida Provisória (MP) da capitalização da Eletrobras. O governo federal espera que a abertura de capital proporcione à empresa um investimento de R$ 5,8 bilhões em 10 anos, com prioridade na revitalização de bacias hidrográficas. 

Desse montante, a intenção é que R$ 3,5 bilhões sejam direcionados às bacias do Rio São Francisco e do Rio Parnaíba. O restante seria repassado às usinas hidrelétricas de Furnas - Bacias do Rio Grande e do Rio Parnaíba, abrangendo os estados de Minas Gerais, Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.

O anúncio do início da construção da Barragem de Jequitaí também será feito no evento, com lançamento de edital público para empresas interessadas em apresentar estudos de viabilidade técnica ambiental. O Rio Jequitaí é afluente do São Francisco e nasce na Serra do Espinhaço, cadeia montanhosa que abrange Minas Gerais e Bahia. 

Os anúncios acontecem em meio à maior crise hídrica do Brasil em 91 anos. O governo federal diz não trabalhar com a hipótese de racionamento de energia, mas o risco é constante. Diante deste cenário, o governo também criou uma nova bandeira tarifária de escassez hídrica, válida a partir de setembro deste ano - com aumento de 6,78% na tarifa média dos consumidores de energia, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Bolsonaro presente (novamente), mas agora sem Zema 

Em pouco mais de um mês, essa será a terceira visita de Jair Bolsonaro a Minas Gerais. Em 17 de setembro, ele esteve em Arinos, no Noroeste do estado, para o lançamento do projeto de revitalização da bacia hidrográfica do Rio Urucuia. 

Já no dia 30 do mesmo mês, Bolsonaro esteve em Belo Horizonte para outros dois lançamentos: privatização do metrô de BH e criação do primeiro Centro Nacional de Vacinas. Esses eventos aconteceram na Cidade Administrativa, sede do governo de Minas. Depois, ele se reuniu com empresários antes de retornar a Brasília.

O governador mineiro Romeu Zema (Novo) esteve presente nas duas ocasiões, no Noroeste do estado e na capital, mas não deve ir ao Norte para o evento desta segunda. Segundo apurou a reportagem do Estado de Minas , não está prevista a viagem de Zema a mais este encontro com Bolsonaro.

Na última oportunidade, em BH, Zema foi muito celebrado pelos bolsonaristas - com algumas poucas ressalvas a respeito do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de combustíveis. Gritos de "Bolsozema" foram entoados na ocasião, o que não deve acontecer nesta segunda por conta da ausência do governador.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Erupção de vulcão na ilha de Java deixou 34 mortos
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT/PE), Almir Mattias e Renata Berenguer
Laboratório anuncia teste para diferenciar o coronavírus da gripe A e B
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Márcia Horowitz e Andreia Rodrigues
Grupo Diario de Pernambuco