Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

CPI

CPI da Covid é suspensa para decidir próximos passos em reunião secreta

Publicado em: 26/05/2021 13:14 | Atualizado em: 26/05/2021 13:33

Sessão deliberativa desta quarta-feira (26/5) chegou a ser aberta, mas apenas para anunciar a suspensão. Senadores se reúnem secretamente para decidir quais requerimentos irão deliberar
 (foto: Edilson Rodrigues/Senado
)
Sessão deliberativa desta quarta-feira (26/5) chegou a ser aberta, mas apenas para anunciar a suspensão. Senadores se reúnem secretamente para decidir quais requerimentos irão deliberar (foto: Edilson Rodrigues/Senado )
A sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, desta quarta-feira (26), mal havia sido aberta e foi suspensa por mais de uma hora para que os senadores rearranjassem, em uma reunião secreta, quais os requerimentos a serem apreciados. Nos bastidores, o objetivo da interrupção foi evitar um bate-boca público e voltar aos trabalhos com uma discussão mais ponderada.

A reunião secreta foi uma decisão de última hora e que não chegou a ser acertada na reunião com o G7 desta terça-feira (25). No dia anterior, o acerto era para a aprovação de requerimentos para convidar governadores e prefeitos a comparecerem na CPI. O critério era chamar aqueles gestores e ex-gestores locais que são alvos de ações da Polícia Federal (PF) que investigam destinação de recursos públicos destinados ao combate à pandemia.

A ideia era aprovar os documentos em bloco, acelerando o andamento da sessão. Ao total, o objetivo era votar 142 requerimentos para convidar, também, cientistas e autoridades ligadas à Saúde. O papel deles seria tanto para prestar esclarecimentos que corroborem para a construção da linha cronológica das ações de enfrentamento à covid, quanto para falar pró e contra de assuntos como cloroquina, que não tem eficácia comprovada para tratar pacientes com a doença, lockdown e outras medidas.

Outro requerimento em pauta visava reconvocar o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o atual gestor da pasta, Marcelo Queiroga. Ficariam de fora os pedidos de quebra de sigilo telefônico e bancário.

Agora, está na mesa, inclusive, a convocação do presidente da República, Jair Bolsonaro. No momento, tanto os membros da oposição quanto os da base do governo reorganizam a pauta e decidem o que será votado e aprovado nesta quarta-feira.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Diabetes: saiba como evitar e controlar antes que seja tarde
Manhã na Clube: entrevistas com Túlio Gadêlha, Beatriz Paulinelli e Guilherme Maia
Advogado de enfermeira afirma que Maradona foi morto
Manhã na Clube: entrevistas com Décio Padilha, Adriana Barros e Roseana Diniz
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco