Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ENTREVISTA

Em entrevista, Lula (PT) fala sobre controle da Pandemia, privatizações e eleições de 2022

Publicado em: 01/04/2021 20:09 | Atualizado em: 01/04/2021 21:49

 (Youtube / Reprodução)
Youtube / Reprodução
Na primeira entrevista concedida à imprensa brasileira em 2021, desde a entrevista coletiva em São Bernardo do Campo (SP), em 10 de março, pelo ex-presidente Lula, nesta quinta-feira (1º), no programa O É da Coisa, do jornalista Reinaldo Azevedo, assuntos como pandemia, privatizações e eleições de 2022 ganharam destaques. Durante a transmmissão, Lula voltou a afirmar que Bolsonaro "é um ignorante" e que precisa reunir apoio internacional para impedir o avanço da Covid-19. "E queria mandar mais um recado ao Bolsonaro, porque nunca conversei com ele: feche a boca, Bolsonaro. Se for para continuar falando bobagem, melhor não falar. Ouça a ciência", disse.

Um dos questionamentos do jornalista ao ex-presidente pairou pelo sentimento dentro da prisão. Indo para o lado pessoal, fora questionado quais momentos mais difíceis Lula (PT) viveu na cadeia, especificamente sobre um possível desânimo. O líder petista respondeu: “Quando a Marisa foi pro hospital, o povo tirando foto dela na UTI.. e quando meu neto faleceu e o filho de Bolsonaro postou no twitter dizendo que alguma coisa boa aconteceu no Brasil. Além disso, a morte do meu irmão”. 

Sobre o recente desfecho da operação Lava Jato e como ele responde a isso, Lula (PT) disparou: "Eu sou um homem que não costuma acumular ódio dentro de mim. Eu tenho certeza que vou dormir mais tranquilo que o Moro vai dormir". 

A condução da Pandemia no Brasil também foi assunto no debate. Quem acompanha o andar da carruagem, percebe que, devido ao negacionismo presidencial, o combate está lento. Segundo o balanço do consórcio de veículos de imprensa, o país já contabilizou 12.753.258 casos e 321.886 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia. Sobre a condução, Lula questionou: “Bolsonaro quando é que você vai assumir a responsabilidade e parar de brincar com esse País? Da mesma forma que você não sabe falar de economia, deixe o seu ministro falar... mesma coisa é com a saúde”. 

Sobre privatizações, o ex-presidente falou acreditar em estatais de economia mista, a exemplo do Banco do Brasil e da Petrobras - que possuem ações na bolsa de valores. “Eu sou contra o governo empresarial, mas eu sou favorável com o governo que seja indutor do processo de desenvolvimento”, destacou Lula (PT). 

Questionado sobre uma possível candidatura, o líder petista destacou que esse não é o momento para pensar em 2022, mas sim um momento para correr atrás do que fora perdido e vacinar toda a população brasileira ainda este ano. “Necessariamente eu não preciso ser presidente da República. Esse ano de 2021 eu não quero discutir 2022. Eu quero deixar aqui para o povo brasileiro que esse ano é o ano de todos nós, que temos responsabilidade por esse pais de fazer o esforço para o País vacinar todo mundo. Temos que garantir ajuda emergencial para que o povo possa ficar em casa e que possa comer”, argumentou.

Indagado sobre a possibilidade de Luiza Trajano ser sua vice, o ex-presidente assinalou: “Sobre Luiza, eu tive uma extraordinária relação com a Luiza Trajano. Ela é uma mulher excepcional. Eu não acredito que ela vá se meter na política". 

Confira a entrevista completa



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Cacique Raoni pede ao presidente dos EUA que ignore Jair Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 16/04
Carta aberta pede quebra de patentes de vacinas de Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco