Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

SENADO

Reunião debate auxílio e vacinação; Paulo Câmara (PSB) pede união no combate à Covid-19

Publicado em: 26/03/2021 18:20 | Atualizado em: 26/03/2021 20:11

 (Redes sociais / Reprodução)
Redes sociais / Reprodução
Durante reunião com o presidente do senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), realizada nesta sexta-feira (26), governadores pressionaram Pacheco (DEM-MG) para o possível aumento do auxílio emergencial, contudo, obtiveram uma resposta um tanto negativa. Ele disse aos chefes de estado que a possibilidade de um auxílio a R é pouco provável. Durante a coletiva, o parlamentar detalhou o que fora explicitado aos governantes. 

"Quanto ao auxílio emergencial, nós temos que trabalhar com a realidade que existe no Brasil. É uma realidade que vai socorrer as pessoas, mas que não será aquilo que desejavam as pessoas mais necessitadas do Brasil. É óbvio que gostaríamos de reeditar o do ano passado no valor de R$ 600, mas não foi possível em razão da responsabilidade fiscal e do Orçamento", disse durante a coletiva após a reunião com os governadores.

Entre os presentes, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB-PE). Logo após a reunião, Paulo (PSB-PE) utilizou suas redes sociais para falar um pouco do que fora debatido. No twitter, o governador escreveu o seguinte: "Participei, na manhã desta sexta-feira, de uma reunião com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e outros colegas governadores e discutimos o momento grave que passa o país no enfrentamento à pandemia". Em seguida, prosseguiu: "Estamos vivendo o pior momento e precisamos de integração e apoio para seguirmos atuando com ações que diminuam o contágio e as mortes, e que assistam as famílias que precisam de uma maior atenção do poder público".

A renovação nas medidas de assistência financeira a estados e municípios e a empresas também guiou o debate. O senador prometeu levar a solicitação para a próxima reunião que terá com o presidente na segunda-feira (29) - a primeira do comitê. 

“Há pautas econômicas dos governadores que convergem em diversos pontos com a do Congresso. E precisam participar o governo e o Ministério da Economia para que haja uniformização disso para identificarmos qual o tamanho do orçamento possível e fazer todo esse atendimento a esses diversos segmentos e aos estados e municípios”, detalhou o senador. 

Essa foi a primeira reunião dos chefes de Estado - que não possuem assento no comitê - com o representante do Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19 que é formado pelo presidente - que o coordenará; pelos presidentes do Senado Federal; da Câmara dos Deputados; e, na condição de observador, por autoridade designada pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça.


Até agora, nenhuma mudança

Mesmo com a solicitação dos governadores, ainda não houve mudança no valor do auxílio a ser pago aos brasileiros. De acordo com a proposta apresentada pelo governo federal ao Congresso, as quatro novas parcelas que serão pagas em 2021 vão variar de R$ 150 a R$ 375, com valor médio de R$ 250 para cada família beneficiada.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Cacique Raoni pede ao presidente dos EUA que ignore Jair Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 16/04
Carta aberta pede quebra de patentes de vacinas de Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco