Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

DECISÃO

Por 3 votos a 2, Moro é considerado parcial; políticos repercutem a decisão, confira

Publicado em: 23/03/2021 20:08 | Atualizado em: 23/03/2021 21:02

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro saiu derrotado, nesta terça-feira (23). É o que decidiram, por 3 votos a 2, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A reviravolta ocorreu após a mudança de voto da ministra Cármen Lúcia - que havia se posicionado contra a suspeição. A decisão do judiciário repercutiu na política. Representantes políticos utilizaram suas redes sociais para comemorar e opinar sobre a decisão do STF, entre eles, o presidente da Câmara Federal Arthur Lira (PP-AL).

Em sua conta em rede social, a deputada federal Marília Arraes (PT) publicou que a decisão é: "Vitória da Democracia!! Vitória do Estado Democrático de Direito!". Complementou: "A história sempre cobra e hoje foi o dia em que o ex-juiz entrou na lata de lixo da história para nunca mais sair".  

O senador petista, Humberto Costa, também utilizou sua rede social para comentar o caso. "A ministra Cármen Lúcia faz a “cabal demonstração” de como Moro agiu “ao arrepio da lei” contra Lula. “Houve uma parcialidade no julgamento", escreveu em seu twitter. 

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), escreveu: "O Supremo Tribunal Federal decidiu fazer uma revisão histórica sobre a Lava Jato. A Operação jamais poderá ser contestada em sua coragem de enfrentar os poderosos, os grandes interesses e a corrupção sistêmica". Ele ainda complementou a publicação da seguinte maneira: "Mas o Estado Policial, para o qual a Lava Jato descambou em certos momentos, lamentavelmente, com suas parcialidades, seletividade e perseguições, jamais poderá também merecer o perdão da História".

A deputada federal e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann tuitou:  "Ao proclamar que Sergio Moro nunca foi juiz imparcial, foi carrasco, o STF fez mais do que garantir a Lula os direitos roubados pela Lava Jato. Começou hoje o caminho para recuperar a credibilidade do Judiciário brasileiro. Vitória da Justiça, do direito e da esperança".

O deputado federal Tadeu Alencar (PSB) acredita que a decisão do STF é correta. Segundo o parlamentar ela faz cumprir a lei e reconhece uma suspeição evidente e grave de Sérgio Moro. "Com repercussões políticas incalculáveis, afetando a soberania popular e sendo premiado por sua conduta ilegal, como ora - quase tardiamente - se reconhece. Uma decisão judicial não pode ser a expressão dos nossos desejos, nem dos nossos apetites e deve ser adotada independentemente de quem dela se favoreça ou de quem por ela seja prejudicado e só deve fidelidade às leis do País e à sua Constituição", declarou. 
 
 
Suspeição

O STF considerou, nesta terça-feira, que o ex-juiz Sergio Moro é suspeito em relação aos processos contra o ex-presidente Lula (PT). A ação que discute o caso foi incluída na pauta do colegiado pelo ministro Gilmar Mendes, presidente da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), depois de ser informado por Kássio Nunes Marques que devolveria seu voto, após duas semanas analisando o caso. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Posse e compra de armas de fogo geram polêmica entre autoridades e população
Liberdade de imprensa piora no Brasil de Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 20/04
Metade da população adulta nos EUA já tomou ao menos uma dose de vacina contra Covid
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco