Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ATAQUE AO STF

Daniel Silveira diz que sua prisão foi "muito pior do que o AI-5"

Publicado em: 24/03/2021 15:14

Deputado preso por defender o AI-5 em vídeo com ataques à democracia considera sua prisão injusta e diz que Bolsonaro não o abandonou
 (Foto: Facebook/Reprodução)
Deputado preso por defender o AI-5 em vídeo com ataques à democracia considera sua prisão injusta e diz que Bolsonaro não o abandonou (Foto: Facebook/Reprodução)
O deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) afirmou na terça-feira (23/3) que sua prisão foi pior do que o Ato Institucional nº 5 - que restringiu direitos de cidadãos e representou o pior da repressão à época da ditadura militar no Brasil. Silveira foi preso em 16 de fevereiro, após publicar um vídeo com declarações antidemocráticas, com referências ao AI-5 e incitações à violência contra ministros do STF.

"O que fizeram comigo foi muito pior do que o AI-5", disse, em sua primeira entrevista após deixar a prisão. Ao participar do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, ele sustentou que sua prisão foi ilegal e disse não ver sentido na decisão do ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, que ordenou sua detenção. "Nada faz sentido e nada está dentro da legalidade", afirmou.

A prisão de Silveira foi mantida pela própria Câmara dos Deputados, com 364 votos a favor. O episódio, contudo, fez a Casa reagir rapidamente, com a construção de um texto conhecido como PEC da Blindagem, ou PEC da Impunidade, como também ficou conhecido. O objetivo era dificultar a prisão de deputados e, segundo o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), proteger os parlamentares no que diz respeito ao seu "voto e voz".

Na época, o Correio apurou que, nos bastidores da Câmara, falava-se que a intenção do texto era tentar livrar Daniel Silveira da prisão. Diante da possibilidade de um aumento de tensão com o STF, no entanto, optou-se por sacrificar o bolsonarista. Enquanto isso, a sociedade pressionava os deputados por pautar o tema em plenário. Isso porque a PEC emergencial que permitia a volta do auxílio emergencial estava parada.No fim das contas, o presidente Arthur Lira desistiu de votar a proposta por falta de acordo com a oposição. Posteriormente, e não por ação da Câmara, Silveira foi autorizado a cumprir prisão domiciliar após uma nova decisão do ministro Alexandre de Moraes.


Bolsonaro

Na entrevista de Daniel Silveira, ele ainda falou sobre o presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que não se sentiu abandonado pelo mandatário, apesar de Bolsonaro não ter se pronunciado, em momento algum, sobre a prisão do aliado.

"O presidente não tem nada a ver com isso, está no meio de uma pandemia. [...] Ele não me abandonou", comentou. O parlamentar disse, também, que busca entender o motivo de seus colegas na Câmara terem votado para manter sua prisão. Para ele, há a possibilidade de que os deputados tenham se sentido pressionados.





TAGS: ai-5 | bolsonaro | silveira | daniel |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Posse e compra de armas de fogo geram polêmica entre autoridades e população
Liberdade de imprensa piora no Brasil de Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 20/04
Metade da população adulta nos EUA já tomou ao menos uma dose de vacina contra Covid
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco