Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

Camaragibe

Por decisão judicial, vereador Toninho é afastado da presidência da Câmara de Camaragibe

Publicado em: 27/03/2020 18:50 | Atualizado em: 27/03/2020 18:55

 (Assessoria/Câmara de Camaragibe)
Assessoria/Câmara de Camaragibe

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), decidiu pelo afastamento do vereador Antônio Oliveira (PP), mais conhecido como Toninho, da presidência da Câmara Municipal de Camaragibe. A decisão saiu na noite desta sexta-feira (27) e foi assinada pelo desembargador Márcio Aguiar.

O pedido à justiça foi feito pelo vereador Paulo André (PSB) na última segunda-feira (23). Esta foi a terceira tentativa do socialista para conseguir o cargo de presidente da casa legislativa. No dia 17 de março, o seu pedido para um mandato de segurança foi indeferido pela 3ª Vara Cível da Comarca de Camaragibe, que manteve o vereador Antônio Oliveira.

De acordo com a sentença, após a eleição da mesa diretora, foi pedido a anulação da primeira eleição, por iniciativa da própria casa legislativa. O imbróglio acabou indo parar na justiça. 

 

Entenda 

Em 2017, como a posse do novo parlamento, eleito no pleito municipal de 2016, a Câmara Municipal realizou a votação para presidência dos biênios 2017/2018 e 2019/2020, esta última, elegeu Toninho como presidente, por 12 votos a favor e uma abstenção. Após o rompimento do vereador com o então prefeito Demóstenes Meira (PTB), uma mobilização com um grupo de vereadores se mobilizou para realizar uma nova eleição, que foi considerada nula pela Justiça, garantindo para Toninho a cadeira de presidente. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Toalhas de Lula e Bolsonaro movimentam o comércio e dão o tom das eleições
Desemprego cai a 9,8% entre março e maio no Brasil
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado federal Daniel Coelho e com a Dra. Magda Maruza
Registro de armas dispara no Brasil durante governo Bolsonaro
Grupo Diario de Pernambuco