Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

RECUO

Bolsonaro revoga trecho da MP que permitia suspensão de contrato de trabalho

Publicado em: 23/03/2020 13:56 | Atualizado em: 23/03/2020 14:29

 (Foto: Antonio Cruz/Agência brasil)
Foto: Antonio Cruz/Agência brasil
Alvo de críticas, o presidente Jair Bolsonaro anunciou, em sua conta no Twitter, que revoga o trecho da Medida Provisória nº927, de 2020, que autorizava a suspensão do contrato de trabalho por até quatro meses sem salário. "Determinei a revogação do art.18 da MP 927 que permitia a suspensão do contrato de trabalho por até 4 meses sem salário", publicou. A decisão tinha sido anunciada na noite de ontem (22).

O trecho publicado previa que o empregado deixasse de trabalhar por 4 meses, assim o empregador não precisaria pagar o salário. Além disso, a empresa seria obrigada a oferecer curso de qualificação online ao trabalhador e a manter benefícios, como plano de saúde. 

O texto, assinado por Bolsonaro, ainda estabelecia regras para teletrabalho, antecipação de férias individuais, concessão de férias coletivas, aproveitamento e a antecipação de feriados, banco de horas, suspensão de exigências administrativas em segurança e saúde no trabalho, direcionamento do trabalhador para qualificação e adiava o recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo o presidente, a medida era para conter o desemprego em meio à pandemia de coronavírus.
 




O que é uma MP?
Uma Medida Provisória tem força de lei pelo período de 60 dias, prorrogáveis pelo mesmo prazo, até que seja apreciada pelo Congresso. Se não for votada, perde a validade. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
OMS alerta para situação do Brasil e México na pandemia
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 30/11
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 01/12
De 1 a 5: Novembro Azul chega ao fim, mas prevenção do câncer de próstata precisa ser permanente
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco