Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

POLÊMICA

Após repercussão negativa, presidente da Câmara de Camaragibe retira de pauta PL contra anticoncepcionais

Publicado em: 13/03/2020 15:14


Toninho pediu desculpas depois da recepção negativa do projeto (Foto: Divulgação / Câmara Municipal de Camaragibe)
Toninho pediu desculpas depois da recepção negativa do projeto (Foto: Divulgação / Câmara Municipal de Camaragibe)
 
 
O presidente da Câmara dos Vereadores de Camaragibe, Toninho (PP), retirou de pauta, nesta sexta-feira (13), o Projeto de Lei (PL) que proibia o comércio, propaganda, distribuição ou “implantação” de anticoncepcionais do município. A proposta, de autoria do próprio parlamentar, foi recebida com indignação por setores da sociedade civil. Um protesto está marcado para o dia 17 de março, dia em que o PL entraria em 2ª votação.

O ato é chamado de  "Mulheres contra a lei 042/2020", e está marcado para às 8h. Em nota, as organizadoras exigem que o parlamentar "crie projetos de leis que não viole os nosso direitos. Tendo em vista que já existem leis federais que tornam legal o uso de métodos contraceptivos". 

O vereador, por meio de nota à imprensa, pediu “desculpas às mulheres que se sentiram ofendidas”. No texto, o parlamentar afirma “entender que o tema se trata de uma questão de saúde pública; além de defender que políticas públicas são construídas com discussão das classes envolvidas e de maneira democrática”. 

Sobre o projeto, o próprio Toninho afirmou que ““visa valorizar a vida. Por isso, queremos proibir que o Sistema de Saúde Municipal faça propagandas, distribua ou implante micro abortivos como  o dispositivo intrauterino (DIU), a pílula só de progestógeno (minipílula), o implante subcutâneo de liberação de progestógeno (Norpant), a pílula do dia seguinte, a pílula RU 486, a vacina anti-HCG e qualquer outro dispositivo, substância ou procedimento que provoque a morte do ser humano já concebido, ao longo de toda sua gestação”.

Na nota mais recente, o vereador reitera que seu objetivo “era preservar a vida, principalmente, vidas inocentes; além da mãe, já que muitos desses micro abortivos oferecem riscos para a gestante”. Ele afirmou que deve convocar audiência pública para “ouvir da população e envolvidos (as), a melhor maneira de se trabalhar o tema”.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Nova presidente da Caixa toma posse e anuncia primeiras medidas
Manhã na Clube: entrevista com o ex-ministro e pré-candidato ao senado, Gilson Machado
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Grupo Diario de Pernambuco