Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

entrevista

'É atrasado, reacionário, antiquado em muita coisa', afirma FHC sobre governo Bolsonaro

Publicado em: 18/10/2019 09:09

Agência Brasil/Arquivo
Em entrevista concedida ao jornal Folha de S. Paulo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) chamou o governo Bolsonaro (PSL) de atrasado, reacionário e antiquado. O ex-presidente afirmou que Bolsonaro deveria agir para baixar a tensão, mas que ainda assim, seria cedo para julgar o seu desempenho. 

FHC compara o atual momento político com a transição do seu governo para o do ex-presidente Lula, em 2002. Em sua avaliação, houve um esforço para organizar as regras democráticas da transição. "Na campanha eleitoral são forças antagônicas se chocando, mas quem assume o poder tem a obrigação de contribuir para baixar a tensão", afirmou o ex-presidente. Fernando Henrique Cardoso declarou ter se surpeendido com o governo Lula e com sua capacidade de governar. 

Na opinião de FHC, as instituições seguem inabaladas até o momento. "Você continua tendo liberdade, imprensa livre, o Parlamento funciona, a Justiça. Você não tem medo. Pode piorar? Pode. A democracia tem que ser cuidada, sempre. Eu não tenho a visão de que inevitavelmente o Brasil vai [piorar] porque o presidente é de direita, seu grupo de referência é atrasado, reacionário, antiquado em muita coisa", afirmou.

Em relação as eleições presidenciais de 2022 FHC pondera que é muito cedo para falar em candidaturas presidenciais, apesar de achar prudente que Doria comece a se caracterizar de uma maneira diferente em relação a Bolsonaro. O ex-presidente considera como pouco provável que Bolsonaro venha a ser uma figura agregadora em dois ou três anos. 

Sobre uma possível candidatura do apresentador Luciano Huck, o ex-presidente considera que existe a necessidade de que o apresentador decida se será um líder político. Na sua visão, a popularidade pela vida da celebridade e pela via da briga política são parecidas, mas não iguais. "A política divide, a celebridade soma", declarou. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista o pré-candidato à prefeitura do Recife  Túlio Gadêlha
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #392 Sucessão ecológica
A nova cara da Conde da Boa Vista, velha conhecida dos recifenses
Rhaldney Santos entrevista a pré-candidata à prefeitura do Recife Marília Arraes
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco