Baleia Rossi é o novo presidente nacional do MDB

Por: Vera Batista - Correio Braziliense

Publicado em: 06/10/2019 14:06 Atualizado em:

'O MDB, hoje, é o maior partido do Brasil', disse Baleia Rossi em seu discurso. Foto: Luis Macedo/Agência Câmara.
'O MDB, hoje, é o maior partido do Brasil', disse Baleia Rossi em seu discurso. Foto: Luis Macedo/Agência Câmara.
O deputado federal Baleia Rossi (MDB/SP), o indiscutível preferido do partido para assumir a presidência nacional na votação que ocorre neste domingo (6), chegou à convenção com a mensagem de “humildade”, com a missão de ampliar a base nas eleições municipais de 2020 e pregando também “uma democracia de resultados”.
 
“Democracia de resultados é emprego e oportunidade. Nós temos uma agenda econômica que é boa, está nos caminho certo mas nós só vamos ter sucesso se nós conseguirmos gerar empregos para a população”, afirmou Baleia. 

Baleia lembrou que o MDB e o presidente Michel Temer tiveram a coragem de defender as reformas estruturais e que o atual presidente, Jair Bolsonaro, reconhece que essa recuperação do emprego no Brasil se deve muito “à participação do nosso governo”.
 
Ele ressaltou que o MDB foi importante tanto para a reforma trabalhista, quanto para a reforma da Previdência. “Um governo que devolveu a credibilidade internacional para a nossa economia com a PEC do teto dos gastos e com o fim da gastança desenfreada dos recursos públicos”, disse.
 
Em relação à economia, o MDB, afirmou, quer propor algo emergencial, que ele chamou de mutirão de empregos. “Queremos propor ao ministro Paulo Guedes (da Economia) que ele possa fazer um grande mutirão de empregos, porque hoje temos quase 13 milhões de desempregados, temos quase 7 milhões de pessoas que nem estudam e nem trabalham, portanto são 20 milhões de brasileiros que não têm nenhuma oportunidade, de renda”

Em parceria com os 5.570 municípios, a ideia é fazer uma grande frente de trabalho com mão de obra pouco qualificada. “Trabalhos simples, de zeladoria, cuidar da cidade, varrer rua, cuidar das praças, para que emergencialmente possamos criar mais de 1 milhão de empregos no Brasil”, destacou Rossi. Ele disse que dinheiro para isso há e estão parados em fundos que não são movimentados.

“Há recursos que não servem para nada, Não justifica a gente ter emprego, aumento da pobreza, aumento das desigualdades e o governo ter nesses fundos bilhões de reais parados. A nossa proposta é fazer a parceria com os 5.570 municípios e gerar empregos para a população. Esse é o caminho. Tem mutios fundos de desenvolvimento parados. Só o Fupen, esse ano, tinha R$ 1 bilhão e foi executado somente cerca de 6%. Portanto não justifica ter dinheiro parado e a população sofrendo”, reforçou

Quanto à missão de presidir o MDB, ele destacou que encara o desafio com muita humildade e gratidão. “Conseguir a unidade do partido com a presença dos 26 estados e do DF foi fundamental para a gente ter uma estratégia para as eleições de 2020. O MDB hoje é o maior partido do Brasil porque tem o maior número de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, deputados e senadores. A união é fundamental para reconectar o nosso partido com os anseios da sociedade”, destacou Rossi.

Ele disse que o partido tem que olhar para frente para dar a esperança à população, de que “nós podemos fazer mais e melhor”. Ele voltou a falar a intenção de renovação da legenda e fez algumas críticas. “Espero que, agora, as decisões, em vez de ser de cúpula, sejam decisões da base que a cúpula vai abraçar”. Também fez críticas ao modo de governar da atual gestão. “Nós sabemos que hoje, o extremismo não leva a nada e não deu certo em lugar nenhum do mundo. Nem a direita que às vezes prega um saudosismo da época de exceção, nem a esquerda, que prega também um socialismo que fracassou no mundo. Nós temos que dialogar com outros partidos e propor uma saída pelo diálogo, pelo consenso, pela união”, completou. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.