declaração 'Michel Temer cometeu ontem novo ato de sincericídio no Roda Viva', diz Dilma Rousseff

Por: Danielle Santana - Diario de Pernambuco

Por: Estado de Minas

Publicado em: 17/09/2019 12:00 Atualizado em:

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil
"Michel Temer cometeu ontem novo ato de sincericídio no Roda Viva. Admitiu que eu sofri um golpe de Estado e disse que se Lula tivesse ido para o meu governo não teria havido o impeachment. Temer não disse, contudo, que o Golpe de 2016 foi para enquadrar o Brasil no neoliberalismo. E, claro, negou ter participado diretamente do golpe." afirmou a ex-presidente Dilma Rousseff ao blog do Sakamoto

O ex-presidente afirmou, em entrevista ao programa Roda Viva, nesta segunda-feira (16), que jamais apoiou o afastamento de Dilma Rousseff da presidência da República. A petista foi afastada do cargo em 2016. Por duas vezes, o ex-presidente fez uso da palavra golpe em referência impeachment de Dilma Rousseff.

"Eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe. Aliás, muito recentemente, o jornal Folha detectou um telefonema onde o ex-presidente Lula me deu, onde ele pleiteava e depois esteve comigo para trazer o PMDB para impedir o impedimento. E eu tentei, mas a esta altura, eu confesso, que a movimentação popular era tão grande e tão intensa que os partidos já estavam mais ou menos vocacionados para a ideia do impedimento", disse Temer. 

Dilma Rousseff ainda questionou a falta de resposta de Temer em algumas partes do programa, "Nenhuma menção dele a seus dois auxiliares mais próximos: Moreira Franco e Eliseu Padilha". Os dois citados pela ex-presidente são réus na Justiça Federal, junto com Temer, por crimes de organização criminosa, além de obstrução de Justiça. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.