discussão Resultado da Mega-Sena domina conversas na Câmara dos Deputados

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 19/09/2019 10:54 Atualizado em:

Arquivo/Agência Brasil
Arquivo/Agência Brasil
A Câmara dos Deputados precisa terminar a discussão sobre o projeto de lei que afrouxa as regras eleitorais e pode inflar o fundo eleitoral, aumentando a possibilidade de caixa 2. Mas o assunto, desta quinta-feira (19), são os 49 assessores da liderança do PT que embolsaram R$ 120 milhões na Mega-Sena acumulada. O sorteio ocorreu nesta quarta (18), em meio à sessão que tratava do caixa 2.
 
Assessores comissionados e integrantes do quadro de servidores da Casa dividiram-se para conferir os números e nomes de quem fez as apostas no sorteio. O chefe de gabinete do PT, por exemplo, não participou. Cada um dos jogadores sai com mais de R$ 2 milhões no bolso, dinheiro suficiente para adquirir um imóvel mas não o bastante para a aposentadoria precoce. Mesmo quem acordou milionário levantou cedo nesta quinta para trabalhar.

No gabinete da liderança, próximo à lanchonete do Senac, no subsolo da Câmara, jornalistas fazem fotos e vídeos de quem entra e sai. Ganhadores preferem não dar entrevistas ou falar com a imprensa, mas quem perdeu a oportunidade faz chacota com os companheiros de trabalho. "A mulher do nosso colega está brava porque ele não apostou com a turma", alfineta um assessor petista.

Quem não jogou explica o motivo: "É muito improvável ganhar. Normalmente, joga-se R$ 30, R$ 40, R$ 50... E é normal que os bolões tenham mais chances. Mas parece muito distante da realidade", explica uma assessora. Não haverá evento de comemoração nas imediações da Câmara, mas a turma de vencedores se prepara para montar um grupo no WhatsApp a fim de organizar-se para buscar o prêmio.

Brincadeiras: "Há vagas"
Duas pautas tomam conta do plenário da Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira: o aniversário de Feira de Santana, na Bahia; e um evento de conscientização sobre distrofias musculares. Mas o assunto do dia são os vencedores. Em gabinetes da base governista, a brincadeira já começou: "há 49 vagas para assessores aqui na Câmara", ataca um servidor. 
 
A provocação não está tão longe da realidade. "Cada um ganhou R$ 2,4 milhões. Você pode deixar o trabalho na Câmara a abrir uma empresa, uma loja, um foodtruck... Comprar um apartamento melhor, uma casa mais cheia de quartos e com piscina. Mas o dinheiro não é suficiente, com o alto custo de vida em Brasília, para que a pessoa não precise mais trabalhar", explica o cientista político Felippo Madeira, professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG).

Cada cota custou R$ 10 no bolão vencedor. Deputados, alguns assessores e até o chefe de gabinete ficaram de fora. A notícia de que o bolão do PT faturou a Mega-Sena chegou para os assessores durante a discussão do projeto de lei que afrouxa as regras eleitoras e pode inflar o fundo eleitoral. A matéria pode ser votada ainda hoje, mesmo estando fora de pauta nesta manhã. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.