Operações Crivella defende revisão na política de segurança do governo do Rio

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 23/09/2019 22:04 Atualizado em:

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
 (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
)
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), defendeu nesta segunda (24) a revisão da atuação da polícia nas comunidades do Rio, com maior moderação dos policiais e operações antes do horário escolar.

"O Rio de Janeiro não suporta mais ver balas perdidas matando inocentes", afirmou.

Crivella comentava a morte de Ágatha Félix, 8, baleada na noite de sexta na comunidade Fazendinha, no Complexo do Alemão, quando voltava para casa com a mãe.

A morte da menina gerou críticas sobre a política de segurança do governo do Estado.

"Acho que é caminhando que se abrem os caminhos. À medida em que as pessoas vão fazendo suas políticas vão também tendo a oportunidade de modificá-las, de adaptá-las. Acho que chegou esse momento de se ponderar sobre as ações feitas nas comunidades", disse o prefeito.

Crivella reclamou que as operações têm frequentemente provocado o fechamento de escolas nas comunidades.

Ao todo, afirmou, são mais de 700 registros de dias sem aula nas 436 escolas da rede municipal este ano.

"Fica difícil a gente formar bons cidadãos, a gente ter bons índices no Ideb (Índice de Educação Básica) com tantas aulas paradas. Mas se as ações forem inevitáveis, que ocorram antes do início do período escolar", comentou o prefeito.

Ele disse que o policial deve ter maior "moderação" ao entrar nas comunidades. "Ele tem que proteger as pessoas que vivem ali", afirmou, em entrevista após reinauguração de um lado no Campo de Santana, parque na região central da cidade.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.