Pernambuco.com
Pernambuco.com
Experimento mostra que cães se preocupam com o bem-estar de quem é amigo A disposição para socorrer indivíduos próximos, uma característica marcante do ser humano, já havia sido observada em outros animais, como macacos, ratos e gralhas

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 11/01/2016 11:16 Atualizado em: 11/01/2016 11:34

Abrigo para animais na Sérvia: cachorros parecem mais suscetíveis a ajudar os animais com os quais são familiarizados do que os desconhecidos. Foto: Andrej Isakovic/AFP
Abrigo para animais na Sérvia: cachorros parecem mais suscetíveis a ajudar os animais com os quais são familiarizados do que os desconhecidos. Foto: Andrej Isakovic/AFP

Não era necessário, mas cientistas austríacos descobriram mais um motivo para que os cachorros sejam considerados seres adoráveis: eles são generosos com os amigos. Em um experimento, cujos resultados foram publicado recentemente na revista especializada Scientific Reports, os pesquisadores constataram que cães doam comida quando veem que outro animal do qual gostam não têm o que comer.

A disposição para socorrer indivíduos próximos, uma característica marcante do ser humano, já havia sido observada em outros animais, como macacos, ratos e gralhas, e existia uma suspeita de que os cachorros pudessem demonstrar o mesmo tipo de comportamento. Havia dúvidas, no entanto, se, no caso dos animais domésticos, a ação seria generosa apenas na aparência, sendo resultado, na verdade, da obediência aos donos.

“Cães e seus parentes mais próximos, os lobos, exibem comportamento social e cooperativo, de forma que há razões para supor que esses animais também se comportam de forma cooperativa socialmente com membros da mesma espécie. Além disso, ao longo de milhares de anos de domesticação, os cães foram selecionados para habilidades sociais específicas”, explica, em um comunicado, Friederike Range, coautora do estudo e pesquisadora do Messerli Research Institute, em Viena.

ara esclarecer essa dúvida, os cientistas resolveram estudar 16 cães e observar se eles podiam ser cooperativos com outros cachorros, alguns com quem conviviam e outros desconhecidos. No experimento, os pesquisadores ofereciam comida aos animais por meio de um sistema no qual eles deviam puxar o alimento por uma corda. O truque era que o animal que puxava a corda fazia a bandeja com guloseimas chegar ao animal que estava em uma gaiola ao lado da dele, ou seja, a comida não era para ele, mas para o vizinho. E o animal podia escolher se oferecia uma bandeja cheia ou uma vazia.

Para conhecidos
Os autores notaram que a decisão sobre que bandeja — a cheia ou a vazia — doar era fortemente influenciada pela familiaridade que o cão tinha com o animal beneficiado. Se o vizinho era alguém que ele conhecia, a chance de dar comida era muito maior. “O que nós descobrimos foi que o grau de familiaridade entre os cães influenciava mais esse comportamento. Comportamento pró-social foi exibido com menos frequência para cães desconhecidos”, diz Range.

Teatro do Parque: a volta à vida de um gigante centenário
Enem para todos com o professor Fernandinho Beltrão ##275 Mono e dicotiledôneas
Rhaldney Santos entrevista Dr Dimas Antunes
Argentina chora perda de Maradona
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco