Pernambuco.com
Pernambuco.com
Perda Morre Jet, o cão salva-vidas do Corpo de Bombeiros Bombeiros perdem seu mascote, atropelado em Piedade. Cão auxiliava o trabalho de salvamento de banhistas há 10 anos

Publicado em: 16/04/2015 08:09 Atualizado em: 16/04/2015 08:35

Cachorro ganhou seu nome por seguir jet skis usados em operações. Foto: Bombeiros/ Divulgação
Cachorro ganhou seu nome por seguir jet skis usados em operações. Foto: Bombeiros/ Divulgação
Ele acordava cedinho todos os dias em sua casa, o Grupamento de Bombeiros Marítimos (GB Mar) do Corpo de Bombeiros, em Piedade. Após tomar seu café da manhã em forma de ração, ia direto para a praia, a pé ou de ônibus, onde auxiliava os guarda-vidas a resgatar banhistas com risco de afogamento.

Não hesitava em carregar equipamentos de salvamento e até participar de operações a bordo do jet ski, veículo que inspirou seu nome. Com 10 anos de serviços prestados à corporação, o mascote Jet, um vira-latas sem treinamento “formal”, mas com talento nato para ajudar o próximo, saiu de cena tragicamente na noite da terça-feira. Foi atropelado, não se sabe por quem, por volta das 20h30 na Avenida Ayrton Senna, nas proximidades do Grupamento.

Companheiro de Jet no cotidiano de operações nas praias da Zona Sul, o tenente Lopes lembra que o cão logo conquistou bombeiros e frequentadores das praias de Boa Viagem e Piedade quando apareceu há uma década.

“Ele era muito carismático e logo começou a se interessar pelo nosso serviço. Sempre que um jet ski estava em operação ele seguia pela areia. Com o tempo, ganhou o nome de Jet e começou a participar de ações”, lembra o oficial.

Lopes acrescenta que o mascote chegava a correr 8km, do Hospital da Aeronáutica para o Pina, durante os exercícios da tropa.

Encontrado por seus amigos agonizando no asfalto da Ayrton Senna, Jet chegou a ser reanimado, mas não resistiu a uma parada cardíaca. Foi sepultado com honras do jeito mais adequado: na areia da praia, em trecho não revelado da orla. Deixou até uma “viúva”, uma cadela que vive no grupamento, chamado BIS (sigla para bote inflável de salvamento).

Rhaldney Santos entrevista o candidato à prefeitura do Recife Carlos de Andrade Lima (PSL)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #164 Atrópodos: a importância da quitina
Pernambuco investe R$ 47,2 milhões na agricultura familiar
Rhaldney Santos entrevista o ortopedista Leonardo Silveira
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco