Pernambuco.com
Pernambuco.com
Saúde animal Como evitar pulgas e carrapatos no seu pet O tutor deve ficar atento ao corpo e ao comportamento do animal

Por: Juliana Freire

Publicado em: 23/04/2015 17:18 Atualizado em: 23/04/2015 17:27

No verão, o clima quente e a umidade podem tornar o ambiente propício para o surgimento de pulgas e carrapatos, que podem acometer qualquer raça de cães e gatos. O Pernambuco.cão preparou algumas dicas para afastar esses parasitas.

Banhos frequentes e dar remédio específico todo mês afastam os parasitas. Foto: Arquivo Pessoal
Banhos frequentes e dar remédio específico todo mês afastam os parasitas. Foto: Arquivo Pessoal
No caso das pulgas, os ovos são depositados em ambientes internos de casas e apartamentos, e o calor e a umidade favorecem a eclosão. No caso dos carrapatos, a postura é feita em ambientes abertos e as chuvas de verão podem atrapalhar sua proliferação.

De acordo com professora do departamento de medicina veterinária da UFRPE Evilda Lima, os cães portadores de parasitas apresentam alguns sinais facéis de identificar. “Coceira insistente, pele avermelhada e pequenas lesões são alguns dos sintomas de que um cão ou gato está carregando escondido sob seu pelo parasitas como pulgas e carrapatos”, afirma.

O tratamento pode ser feito com sabonetes, xampus, loções, sprays, coleiras e pour-on, aquela pipeta com medicamento que é colocada na nuca do animal, todos anti- pulga e carrapatos. “A eficácia depende muito do princípio ativo utilizado e da resistência a determinados produtos. É preciso estar atento porque muitos podem ser tóxicos”, alerta a professora  Evilda.

Manter o ambiente limpo também evita que pulgas e carrapatos se proliferem. Foto: Arquivo Pessoal
Manter o ambiente limpo também evita que pulgas e carrapatos se proliferem. Foto: Arquivo Pessoal
Para os animais alérgicos, os fitoterápicos podem ser uma opção e devem se indicados por especialistas da área. É possivel evitar as infestações também com a prevenção mensal, a tosa regular, a atenção ao comportamento do pet e o cuidado de evitar ao máximo os ambientes rurais.

A assistente financeiro Isabela Alencar, de 32 anos, cuida de sete vira-latas. Todos já tiveram pulgas e carrapatos e estão livres dos parasitas. Mesmo assim, Isabela mantém alguns cuidados. “Continuo dando banhos bem frequentes neles, e uma vez por mês coloco remédio, mesmo sem estarem mais com pulgas nem carrapatos. Além disso, limpo o ambiente com o veneno uma vez por mês também”, conta.

“O tutor deve se lembrar de checar todo o corpo do animal, principalmente a cabeça, as orelhas e entre os dedos. Campos, gramados e jardins são alguns dos ambientes potencialmente contaminados. Quando o contato com esses locais não puder ser evitado, o uso dos preventivos passa a ser a única opção de controle", reforça a veterinária.

Pantanal: o pior incêndio da história
Resumo da semana: escolas seguem fechadas, incêndio no Pantanal e mais leitos de UTI pediátrica
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #Aulão: tudo sobre botânica
Rhaldney Santos entrevista a oftalmologista Larissa Ventura
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco