Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

CRISE

Reino Unido vive clima de pânico com falta de gasolina nos postos

Publicado em: 28/09/2021 07:28

 (Foto: Paul Ellis/AFP)
Foto: Paul Ellis/AFP
A escassez de combustível no Reino Unido se agravou no fim de semana por causa das “compras motivadas pelo pânico”, o que levou o governo a recorrer ao Exército para amenizar a falta de caminhoneiros. Na noite de ontem, os militares foram colocados de prontidão. Londres pretende treinar soldados para dirigirem caminhões-tanque. Durante o fim de semana, foram registradas longas filas em postos de gasolina.

Ontem, quase 30% dos postos do grupo BP eram afetados pela escassez de combustível. “Um dos nossos membros recebeu um carregamento ao meio-dia e, no fim da tarde, já havia acabado completamente”, disse à emissora BBC Brian Madderson, presidente da PRA, a associação de postos de gasolina do país. O tabloide The Sun cita o exemplo de uma enfermeira que precisou percorrer três postos de gasolina e esperou por muito tempo. “Agora vou me atrasar para visitar os pacientes, que precisam da minha ajuda para suas refeições e medicamentos”, declarou esta profissional da saúde ao jornal, sem conter as lágrimas.

O aumento da demanda por gasolina levou a PRA a advertir que até dois terços de seus membros — quase 5,5 mil postos de gasolina independentes dos 8 mil no país — tinham pouca quantidade de combustível no domingo. Os demais estavam “quase sem nada”. Apesar das tentativas do governo de tranquilizar os britânicos, muitos cidadãos correram aos postos de gasolina.

Racionamento
A situação recorda a década de 1970, quando a crise energética provocou o racionamento de combustível e a redução da semana de trabalho para três dias. Há quase 10 anos, as manifestações contra o preço elevado da gasolina provocaram um bloqueio das refinarias e paralisaram as atividades no Reino Unido durante semanas. A escassez se deve, sobretudo, à falta de motoristas.
 
A crise de abastecimento pressionou o governo britânico a alterar, no sábado, a política de imigração pós-Brexit e conceder até 10.500 vistos de trabalho provisórios, de três meses. A medida deve suprir a falta de caminhoneiros e de profissionais em setores cruciais da economia britânica.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Sileno Guedes e com a nutricionista Joyce Alencastro
CPI da Pandemia chega ao final com homenagens às vítimas da Covid
Manhã na Clube: ex-ministro Roberto Freire, dr. Cláudio Falcão e o advogado Pedro Avelino
Chama dos Jogos de Inverno é acesa
Grupo Diario de Pernambuco