Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DIPLOMACIA

Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA incentiva diálogo entre Biden e Putin

Publicado em: 08/06/2021 18:15

 (Foto: AFP)
Foto: AFP
De acordo com publicação da agência de notícias Reuters, o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, disse que a reunião planejada entre os líderes dos Estados Unidos e da Rússia na cúpula que ocorrerá no dia 16 de junho, em Genebra, não é uma "recompensa" para Vladimir Putin, mas sim, o modo mais eficaz de ouvi-lo diretamente para compreender e gerir as diferenças entre Washington e Moscou e, assim buscar também áreas de cooperação mútua.

Além disso, Sullivan ainda comentou em coletiva a imprensa na Casa Branca que ainda irá enfatizar a importância da divisão dos encargos dos países da OTAN e também a necessidade de seus membros contribuírem para exercícios e operações da aliança. Entretanto, o conselheiro de Segurança Nacional norte-americano destacou que os EUA responderão se as atividades "prejudiciais" da Rússia contra Washington continuarem. Sullivan acrescentou que o mesmo se aplica aos aliados dos EUA, como a Ucrânia, uma vez que o presidente Joe Biden assegurou ao líder ucraniano, Vladimir Zelensky, que defenderia a sua soberania ante Putin.

No entanto, apesar das divergências entre os dois líderes, é esperado que ambos consigam resolver questões relativas à estabilidade estratégica e controle de armas visando reduzir as fortes tensões bilaterias. "Com base nessa noção de resultados na cúpula EUA-Rússia, no final do dia, o que estamos procurando fazer é que os dois presidentes sejam capazes de enviar um sinal claro às suas equipes sobre questões de estabilidade estratégica, para que possamos progredir no controle de armas e em outras áreas nucleares a fim de reduzir a tensão e a instabilidade nesse aspecto do relacionamento", apontou Sullivan.

Nesta semana o presidente dos EUA, Joe Biden, comentou que reitera seu apoio a aliados europeus em relação à Rússia. 'O presidente Putin sabe que não hesitarei em responder a futuras atividades agressivas', garantiu Biden.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Protesto em Brasília acaba com conflito entre indígenas e policiais
Manhã na Clube: entrevistas com Carlos Veras, Sérvio Fidney e Marcel Costi
Vacina contra a Covid-19 criada em Cuba tem eficácia de 92%
Pontos fundamentais para fazer uma transição de carreira
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco