Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

PANDEMIA

Serviço de inteligência dos EUA tem três meses para explicar origem da Covid-19

Publicado em: 27/05/2021 08:27

 (Foto: Hector Retamal/AFP)
Foto: Hector Retamal/AFP
Os serviços de inteligência dos Estados Unidos têm três meses para informar à Casa Branca se a Covid-19 surgiu na China a partir do contato com um animal ou de um acidente no laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan, na províncie de Hubei (centro). O ultimato foi anunciado, ontem, pelo próprio presidente norte-americano, Joe Biden. “Pedi à comunidade de inteligência para que redobre os esforços na coleta e análise de informações que possam nos aproximar de uma conclusão definitiva e para que reporte a mim em 90 dias”, afirmou, em comunicado à imprensa. “Como parte deste relatório, solicitei áreas de investigação adicional que podem ser necessárias, incluindo questões específicas para a China.”

Biden também exigiu que o Congresso seja “totalmente informado” sobre o avanço da investigação. O presidente advertiu que “o fracasso em colocar inspetores” do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) “sempre dificultará qualquer investigação sobre a fonte da Covid-19”.

A pressão da Casa Branca para decifrar a origem do Sars-CoV-2 — que matou 3,4 milhões de pessoas no mundo, incluindo 454.429 brasileiros — ocorre no momento em que Austrália, Japão e Portugal pedem à Organização Mundial da Saúde (OMS) a apuração dos fatos sobre a origem da pandemia. Depois de visitarem Wuhan, no início do ano, especialistas da OMS concluíram que a transmissão da covid-19 a partir de um animal intermediário é uma hipótese “muito provável”. Segundo eles, a tese avalizada pelo ex-presidente Donald Trump de que o coronavírus surgiu de um incidente em laboratório é “extremamente improvável”.

Mais cedo, as autoridades chinesas acusaram os EUA de espalharem “teorias conspiratórias”. O jornal The Wall Street Journal publicou que teve acesso a dados secretos da inteligência americana relatando que três cientistas do Instituto de Virologia de Wuhan haviam apresentado, em novembro de 2019, “sintomas compatíveis tanto com os de Covid-19 quanto de uma infecção sazonal”. A informação, negada categoricamente por Pequim, sugere que o coronavírus possa ter “escapado” do laboratório em Wuhan. De acordo com Biden, os EUA seguirão trabalhando com parceiros para pressionar a China a participar de uma “investigação internacional completa, transparente e baseada em evidências”.

Prevenção
Cofundador do Instituto de Virologia Humana da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland e da Rede Global de Vírus, e um dos cientistas que isolaram o HIV (vírus causador da Aids) nos anos 1980, Robert C. Gallo disse duvidar que Biden obtenha uma resposta definitiva em 90 dias. “Conhecer a origem do coronavírus pode ajudar na prevenção de futuras doenças. Nós devemos, pelo menos, tentar descobrir como o Sars-CoV-2 surgiu”, afirmou ao Correio.

Joel Wertheim, professor de medicina da Universidade da Califórnia, San Diego, concorda que a descoberta da origem do Sars-CoV-2 é importante para a compreensão do início da atual pandemia da Covid-19. “Isso também reduzirá a probabilidade de futuras pandemias. Uma das grandes questões sem resposta é como o Sars-CoV-2 veio do sul da China, onde vírus similares circulam, até a cidade de Wuhan, onde os primeiros casos humanos foram vistos”, explicou à reportagem.

De acordo com Wertheim, não existem evidências, no genoma do coronavírus, capazes de sugerir sua criação em laboratório. “O Sars-CoV-2 se parece com um coronavírus que circula naturalmente, embora nunca antes visto. Os coronavírus zoonóticos (transmissíveis de um animal para o homem) são frequentes. O Sars-CoV-2 é o terceiro coronavírus letal a surgir entre os humanos nas últimas duas décadas, precedido pelo Sars-CoV e pelo MERS-Cov. Apenas porque não encontramos um reservatório ou um hospedeiro, não significa que ele não exista”, comentou.

Ele admite, no entanto, que outros vírus escaparam de laboratórios antes, como o próprio HIV e H1N1 (influenza). “É muito mais provável que um microorganismo nunca antes visto tenha ‘saltado’ para humanos naturalmente."
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
ONU pede medidas para frear abusos sexuais nas instituições católicas
Manhã na Clube: entrevistas com Frederico França, Johann Wolfgang Schneider e Marcelle Penha
Diabetes: saiba como evitar e controlar antes que seja tarde
Manhã na Clube: entrevistas com Túlio Gadêlha, Beatriz Paulinelli e Guilherme Maia
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco