Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

INGLATERRA

Polícia britânica descobre 'mina' de bitcoins onde pensava existir plantação de maconha

Por: AFP

Publicado em: 28/05/2021 16:32

 (Foto: Justin TALLIS / AFP)
Foto: Justin TALLIS / AFP
A polícia britânica detectou sinais reveladores de uma plantação de cannabis: alto consumo de eletricidade, muitos cabos e dutos de ventilação. Mas, na verdade, descobriu outra operação ilegal: uma "mina" de criptomoedas que roubava eletricidade da rede nacional.

Uma operação policial em West Midlands descobriu a operação em uma propriedade industrial a noroeste de Birmingham, a segunda maior cidade do Reino Unido. 

"Certamente não é o que esperávamos", disse a sargento Jennifer Griffin na sexta-feira (28). "Tinha todas as características de uma montagem de cultivo de cannabis e acho que é apenas a segunda mina de criptomoedas desse tipo que encontramos em West Midlands", acrescentou. A polícia acredita que esta instalação estava minerando bitcoins, acrescentou.

Criptomoedas como o bitcoin funcionam graças a um sistema descentralizado: redes de computadores independentes validam as transações em todo o mundo. Os participantes, ou "mineiros", usam processadores poderosos para executar equações complexas que demonstram sua participação e recebem bitcoins automaticamente, uma atividade que consome muita energia.

“Muitas pessoas estavam visitando o local, havia muitos cabos e aberturas visíveis e um drone da polícia detectou uma fonte de calor considerável”, explicou a polícia em um comunicado. "Pelo que eu sei, a mineração de criptomoedas não é ilegal em si, mas o roubo de eletricidade é", explicou Griffin, observando que não houve prisões porque o local estava vazio.

Transformar eletricidade em bitcoins pode ser um negócio muito lucrativo: no ano passado, o bitcoin se valorizou em quase 400% e na sexta-feira era negociado por quase 37.000 dólares. Mas seu intenso consumo de energia elétrica faz com que sua "mineração", como é conhecido o processo de fabricação, não seja muito difundida na Europa.

Sua pegada ecológica também levou o fundador da Tesla, Elon Musk, a rejeitar pagamentos nesta criptomoeda por seus carros elétricos.

De acordo com o Cambridge Bitcoin Electricity Consumption Index (CBECI), as minas de bitcoin consomem cerca de 114 TWh (terawatt, ou um trilhão de watts), ou 0,5% da produção mundial de eletricidade.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Diabetes: saiba como evitar e controlar antes que seja tarde
Manhã na Clube: entrevistas com Túlio Gadêlha, Beatriz Paulinelli e Guilherme Maia
Advogado de enfermeira afirma que Maradona foi morto
Manhã na Clube: entrevistas com Décio Padilha, Adriana Barros e Roseana Diniz
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco