Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DECISÃO

Guatemala autoriza extradição aos EUA do filho de ex-presidente panamenho

Por: AFP

Publicado em: 26/05/2021 12:48

 (Foto: Johan Ordonez/AFP)
Foto: Johan Ordonez/AFP
Um tribunal da Guatemala autorizou na terça-feira (25) a extradição para os Estados Unidos de um filho do ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli (2009-2014), detido desde julho de 2020 neste país por suposta lavagem de dinheiro no caso Odebrecht, informou o Ministério Público local.

“Atendendo à solicitação da Unidade de Assuntos Internacionais do Ministério Público, a Quinta Vara Criminal notificou que foi autorizada a extradição formal de Luis Enrique Martinelli Linares”, publicou o Ministério Público no Twitter.

Luis Enrique, de 39 anos, é acusado “por sua possível participação nas acusações de conspiração para cometer lavagem de dinheiro, envolvendo uma atividade ilegal específica”.

Ele está preso desde 6 de julho do ano passado na Guatemala junto com seu irmão Ricardo Alberto, de 41 anos, ambos procurados pela justiça norte-americana, que os acusa de lavagem de dinheiro relacionada ao caso Odebrecht.

Ricardo Alberto teve a extradição suspensa devido ao fato de seu caso ser responsabilidade de outro tribunal, que precisa resolver "uma apelação", explicou uma fonte do Ministério Público à AFP.

Os irmãos Martinelli foram presos no aeroporto internacional da Cidade da Guatemala quando tentaram embarcar em um voo humanitário privado para seu país devido à pandemia de Covid-19.

"Os dois réus teriam participado" do plano da construtora brasileira Odebrecht, que pagou "mais de 700 milhões de dólares em propina a funcionários de governos na América Latina", revelou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos na ocasião. No Panamá, os pagamentos seriam de 59 milhões de dólares.

Dias depois da prisão, o Parlamento Centro-Americano, órgão de integração regional com sede na Guatemala, não permitiu a tomada de posse dos irmãos Martinelli como deputados suplentes, após suspeitas de que eles estavam tentando se valer da imunidade parlamentar para evitar uma extradição.

“Sem iniciar audiências para debater o assunto, o Tribunal da Guatemala declarou cabível a extradição de meu filho Luis Enrique Martinelli. Essas violações ocorrem porque o Ministério das Relações Exteriores do Panamá não está cumprindo a obrigação que lhe é imposta pelo artigo 17 da Constituição [que fala da proteção de seus cidadãos]", escreveu o ex-presidente Martinelli no Twitter nesta terça-feira.

O ex-mandatário também enfrenta acusações por envolvimento na rede de corrupção da Odebrecht, entre outras denúncias.

Martinelli pai foi extraditado dos Estados Unidos para o Panamá em junho de 2018 para enfrentar acusações por um caso de escuta telefônica ilegal durante seu governo.

Em liberdade, ele registrou um novo partido político e expressou sua intenção de se candidatar às eleições presidenciais em 2024.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Frederico França, Johann Wolfgang Schneider e Marcelle Penha
Diabetes: saiba como evitar e controlar antes que seja tarde
Manhã na Clube: entrevistas com Túlio Gadêlha, Beatriz Paulinelli e Guilherme Maia
Advogado de enfermeira afirma que Maradona foi morto
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco