Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

TENSÃO

Secretário dos EUA alerta China sobre medidas agressivas tomadas contra Taiwan

Publicado em: 12/04/2021 16:44

 (Foto: MANDEL NGAN / POOL / AFP)
Foto: MANDEL NGAN / POOL / AFP
O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, declarou em entrevista à emissora NBC, que Washington está preocupada com as ações agressivas da China dirigidas a Taiwan e advertiu que seria um "erro grave" para qualquer um tentar mudar o status quo no Pacífico Ocidental pela força, além de aumentar as tensões no estreito do país. Questionado ainda se os EUA responderiam militarmente a uma ação chinesa em Taipé, Blinken se recusou a comentar um cenário hipotético. "Tudo o que posso dizer é que os Estados Unidos têm um antigo compromisso, sob o Ato de Relações com Taiwan, de garantir que Taiwan tenha a habilidade de se defender e manter a paz e a segurança no Pacífico Ocidental, disse Blinken.

Por outro lado, o governo de Pequim culpou os Estados Unidos pelo agravamento das tensões, sobretudo depois que um navio de guerra norte-americano passou próximo a Taiwan na última quinta-feira (8). Já o governo de Taipé reclama nos últimos meses de recorrentes missões da força aérea chinesa perto da ilha, que a China reivindica como seu território.

Também durante a entrevista Blinken citou que a China falhou em fornecer aos especialistas mundiais em saúde as informações de quando surgiram os primeiros casos do novo coronavírus, o que implicou em tornar a pandemia da Covid pior do que deveria e que é importante "chegar ao fundo" da origem do vírus. "A China não deu acesso a especialistas internacionais e não compartilhou informações em tempo real para garantir a transparência verdadeira. Como resultado, o vírus saiu do controle mais rápido e com resultados muito mais notórios do que poderia ser caso contrário", afirmou. 

O secretário de Estado norte-americano ainda salientou a necessidade de haver um sistema global de segurança sanitária mais forte para garantir que uma pandemia como a da Covid não aconteça de novo, destacando que as reformas para esse sistema devem incluir transparência, compartilhamento de informações, acesso a especialistas e que a China deve participar disso. "Precisamos fazer isso precisamente para entender por completo o que aconteceu, e assim, impedir que isso aconteça novamente. Por isso, precisamos chegar ao fundo disso", acrescentou Blinken.

O relatório da Organização Mundial da Saúde sobre as investigações a respeito da origem do novo coronavírus realizada na China foi publicado em março deste ano e, na ocasião, os Estados Unidos, a União Européia e os países ocidentais apelaram à Pequim para proporcionar "acesso total" a especialistas independentes a todos os dados sobre o começo do surto no final de 2019.
TAGS: taiwan | china | eua | alerta | tensao |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
ONU pede  investigação independente sobre chacina no Rio
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 07/05
Teich vincula renúncia à pressão de Bolsonaro para usar cloroquina
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 06/05
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco