Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

PRISÃO

Líder da Irmandade Muçulmana é condenado à prisão perpétua no Egito

Publicado em: 08/04/2021 18:28

 (Foto: AFP)
Foto: AFP
O guia supremo da Irmandade Muçulmana, Mahmud Ezzat, foi condenado à prisão perpétua pelo tribunal criminal do Cairo nesta quinta-feira (8), informou uma fonte judicial.

Preso no Cairo em agosto passado, após ter estado em fuga por sete anos, Ezzat foi condenado no âmbito de um novo julgamento, entre outras causas, por "incitação ao homicídio" e por ter "fornecido armas" a manifestantes em frente à sede da irmandade, em 2013, acrescentou a mesma fonte.

O Egito considera a Irmandade Muçulmana uma organização terrorista desde o verão de 2013.

Em 2015, Ezzat, 76, foi condenado à revelia à prisão perpétua, e também à morte, pelo assassinato de militares e representantes do Estado, incluindo o ex-procurador-geral Hisham Barakat.

Fundada em 1928, a irmandade se posicionou desde meados do século XX como o principal movimento de oposição no Egito. No entanto, em 2013 os integrantes do movimento foram destituídos do conselho político, após o breve mandato de um ano de um de seus membros, Mohamed Mursi.

Mursi foi o primeiro presidente eleito democraticamente após a revolta popular de 2011, mas foi derrubado pelo exército em 2013, sob o comando do marechal Abdel Fatah al Sisi, que se tornou presidente desde então, após uma série de manifestações em massa.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Metade da população adulta nos EUA já tomou ao menos uma dose de vacina contra Covid
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 19/04
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Resumo da semana: STF mantém anulações de sentenças contra Lula, mais jovens em UTIs e CPI da Covid
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco