Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

PANDEMIA

Argentina precisa de 'três semanas de esforço' contra segunda onda da Covid

Por: AFP

Publicado em: 06/04/2021 15:00 | Atualizado em: 06/04/2021 16:42

 (Foto: RONALDO SCHEMIDT / AFP)
Foto: RONALDO SCHEMIDT / AFP
A Argentina, onde uma segunda onda da Covid-19 começou, requer "três semanas de um esforço maior" para reduzir as infecções enquanto acelera a vacinação da população em maior risco, alertou a ministra da Saúde Carla Vizzotti na terça-feira (6).

“Precisamos de medidas intensivas, transitórias, precoces e oportunas, sem afetar o comércio e a produção e o mínimo possível a educação”, disse Vizzotti em entrevista coletiva.

A ministra garantiu que “a segunda onda é uma realidade” no país, por isso procura evitar o colapso do sistema de saúde.

As autoridades nacionais realizam reuniões com as províncias para acordar medidas preventivas e restrições, especialmente nos grandes centros urbanos. “Embora estejamos vacinando, devemos reduzir a transmissão viral”, enfatizou Vizzoti.

A Associação Argentina de Medicina Respiratória advertiu que "a possibilidade de um colapso da saúde é real". “O ritmo de vacinação não será rápido o suficiente para conter uma segunda onda, a menos que a população voluntariamente decida restringir comportamentos de risco e adotar medidas de distanciamento, ao aceitar a vacinação que é oferecida”, disse esta terça-feira em nota.

A ministra disse que visa acelerar a vacinação de pessoas em risco, incluindo aquelas com mais de 60 anos e aquelas entre 18 e 59 anos com fatores de comorbidade, uma população estimada em 15 milhões de pessoas.

Até o momento, chegaram a Buenos Aires 7,2 milhões de doses das vacinas Sputnik V, Sinopharm, Covishield e AstraZeneca. Cerca de 4,4 milhões de doses foram administradas a 3,7 milhões de argentinos, entre os quais quase 700.000 receberam as duas doses.

Na segunda-feira, 13.667 novos casos de coronavírus foram notificados em 24 horas, com um total de 2.407.159 infecções. Foram 272 mortes, elevando o total para 56.471 mortes.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Família Floyd volta a respirar: policial é condenado pela morte de homem negro
Posse e compra de armas de fogo geram polêmica entre autoridades e população
Liberdade de imprensa piora no Brasil de Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 20/04
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco