Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

VACINA

Instituto Gamaleya cria nova tecnologia para desenvolver vacinas contra várias cepas do coronavírus

Publicado em: 12/02/2021 18:56

 (Foto: Thibault Savary/AFP)
Foto: Thibault Savary/AFP
O Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, que desenvolveu a vacina russa Sputnik V em parceria com o Fundo Russo de Investimentos Diretos, declarou nesta sexta-feira (12) que também criou uma tecnologia para um processo mais rápido de imunizantes contra as variantes do SARS-CoV-2. "Nosso instituto desenvolveu uma tecnologia que permite de forma muito rápida e eficiente a criação de vacinas que incluem antígenos não apenas para uma variante do coronavírus. Mas para dois ou três, quatro ou cinco variantes", garantiu Aleksandr Gintsburg, diretor do Instituto Gamaleya. 

De acordo com recentes estudos, os especialistas do Centro Gamaleya observaram que as atuais vacinas disponíveis possuem baixa eficácia contra as diferentes cepas do novo coronavírus, que apareceram principalmente na África do Sul, Brasil (Amazônia) e Reino Unido. A vacina de Oxford, por exemplo, demonstrou aproximadamente 10% de eficácia com a variante da África do Sul.

Para os pesquisadores do Instituto Gamaleya o resultado do sucesso e da elevada eficácia da Sputnik V, primeira vacina registrada contra a Covid-19 e já aprovada para uso em 27 países, se deve a décadas de pesquisa e desenvolvimento anteriores à pandemia. A vacina comprovou durante a terceira fase dos ensaios clínicos, altos indicadores de eficácia, imunogenicidade e segurança, com uma eficácia superior a 91,6% e garantia de proteção total para os casos graves da infecção com o novo coronavírus. Além disso, a Sputnik V ainda obteve o aval da revista Lancet, a mais prestigiada publicação científica do mundo, que divulgou um artigo no qual atesta que a eficácia contra casos moderados e graves da doença foi de 100%.
Se anteriormente alguns países manifestaram desconfiança sobre a pioneira vacina russa, agora ao que tudo indica o Instituto Gamaleya se tornou uma esperança no lançamento de novos métodos de produção de imunizantes.
TAGS: pandemia | covid-19 | vacina |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Com 93% de taxa de ocupação de UTIs, Pernambuco decreta mais restrições
De 1 a 5: saiba qual é seu perfil profissional e como tirar o máximo proveito dele
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 01/03
Doença da urina preta: síndrome rara pode levar à UTI
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco