Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

FURACÃO

América Central se prepara para chegada de novo furacão

Por: AFP

Publicado em: 14/11/2020 16:55

 (Foto: RAMMB / NOAA / NESDIS / AFP
)
Foto: RAMMB / NOAA / NESDIS / AFP
 
Os países centro-americanos se preparavam neste sábado para a chegada de um novo furacão, dias depois que o ciclone Eta deixou mais de 200 mortos na região.

A tempestade tropical Iota se encontrava no Caribe, avançando lentamente para a América Central, que poderá começar a sentir seus efeitos neste domingo, segundo o Instituto Meteorológico Nacional (IMN) da Costa Rica.

"Iota continuará ganhando força de forma constante em sua passagem pelo Mar do Caribe e deverá alcançar a categoria de furacão neste fim de semana", aponta o relatório do IMN, baseado em projeções do Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos. Segundo o centro, "inundações e deslizamentos em Honduras e Nicarágua poderão ser exacerbados pelos efeitos recentes do Eta, resultando em impactos significativos".

Autoridades de Honduras começaram a remover milhares de pessoas do vale de Sula, localizado nos arredores de San Pedro Sula, região mais atingida pela passagem do Eta. O governo ordenou o descarregamento de água da principal represa hidrelétrica do país, ante o risco de transbordamento e inundação em San Pedro Sula e localidades vizinhas.
 
Trajeto repetido
Se mantiver seu rumo, o novo ciclone tocará a terra perto de Cabo Gracias a Dios, entre Honduras e Nicarágua, assim como o Eta, que causou morte e destruição da Guatemala ao Panamá. Calcula-se que vivam na região de Cabo Gracias a Dios cerca de 2 mil pessoas.

Na comunidade de Bihmuna, norte da Nicarágua, autoridades começaram a remover cerca de 1,6 mil pessoas ontem, segundo autoridades de Waspam. "É uma emergência grande para o município de Waspam", região habitada por indígenas, assinalou ontem a prefeita Rose Cunnigham.

O Eta provocou inundações e deslizamentos que afetaram 2,5 milhões de pessoas e deixaram mais de 200 mortos, segundo órgãos de defesa civil centro-americanos.

O presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei, pediu hoje à população que evite se dirigir às províncias mais ameaçadas nos dias mais chuvosos, devido ao risco de deslizamentos e bloqueios de estradas. 
TAGS: furacão | central | america |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Entrevista com o governador Paulo Câmara
Um milhão de doses da CoronaVac chegam em São Paulo
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 03/12
Vídeo mostra confusão envolvendo agentes da CTTU em Santo Amaro
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco